O dilema da carne + Costelinha ao molho barbecue e purê de batatas com alho

A receita deste post é minha primeira carne que deu certo. Estou descontando dessa categoria qualquer coisa feita com linguiça ou carne moída. Explico: tenho certa dificuldade com carnes que realmente me lembram o animal de onde vieram. Se estão disfarçadas dentro de uma membrana ou picadas em pedaços minúsculos, acho (um pouco) mais tranquilo.

A mestre Julia Child dizia que um cozinheiro nunca deve revelar seu ponto fraco, mas eu falo demais, então já era. Quando vejo um pedaço de bife cru na minha frente, fico sem reação. No máximo dou uns cutucões com o dedo, como quem quer fazer amizade, mas no final acabo deixando para outra pessoa cuidar dele.

Não que isso seja necessariamente um problema, já que carne, principalmente vermelha, nunca me fez falta. Tenho vontade de comer bem de vez em quando. Ainda assim, acredito que é importante saber preparar pelo menos o básico: bife, carne de panela, lombo, essas coisas. Só que quando o pedaço de frango está lá na minha frente, não tem jeito. Na hora imagino direitinho a galinha morta e travo.

Talvez a dificuldade tenha surgido na minha tal infância bucólica. Com 10 anos vi meu tio matando uma galinha pela primeira vez, quebrando o pescoço num só “trac”. Também vi como se matava vacas e porcos – desse último tenho a lembrança mais vívida, pois depois de morto, sua pele era queimada. Me lembro bem do cheiro daquilo, das labaredas do fogo, dos estalos da pele. E eu, que antes estava brincando com esses animais, fazendo carinho e dando nomes, de repente via o sangue deles pingando na bacia de metal. Era meio traumatizante.

Devagarinho estou fazendo as pazes com as carnes. Como poucas vezes na semana e dou sempre prefência para as orgânicas. Confesso que quando vi essa costelinha na minha frente foi difícil, pois fiquei imaginando o porquinho simpático de onde ela saiu. Mas acho que no final das contas consegui pelo menos honrá-lo: a carne ficou bem gostosa.

***
Costelinha ao molho barbecue e purê de batatas com alho
A receita dessa costelinha tem uma grande vantagem: a marinada e o molho são uma coisa só, o que garante um preparo fácil e muito saboroso. É preciso de tempo, mas o resultado vale a pena. O purê eu aprendi a fazer quando morei nos Estado Unidos. O alho assado sá um sabor muito especial, mais sutil do que se fosse usado cru.

Rendimento: 4 porções

Ingredientes

Costelinha
1 quilo de costelinha
4 dentes de alho picados
2 colheres de sopa de mostarda dijon
4 colheres de sopa de açúcar mascavo
4 colheres de sopa catchup
2 colheres de sopa molho de soja
5 a 6 colheres de sopa de vinagre
2 a 3 colheres de chá de pimenta do reino moída na hora
2 colheres de chá de sal

Como fazer

1. Se a sua costelinha está com uma membrana fina cobrindo um dos lados, tire-a com uma faquinha bem afiada.

2. Amasse o alho com o sal num pilão ou usando um garfo. Depois misture o restantes dos ingredientes, deixando o vinagre por último. Vá colocando-o aos poucos, pois o molho não deve ficar ralo. Ele deve ter consistência suficiente para cobrir a carne sem escorrer totalmente pelos lados.

3. Coloque a costelinha numa vasilha rasa, onde ela encoste totalmente no fundo. Espalhe a marinada por todos os lados da carne, massageando levemente. Cubra com uma tampa ou um plástico e leve à geladeira por pelo menos 5 horas (ou deixe de um dia para o outro).

4. Pré-aqueça o forno a 150 graus. Coloque a costelinha num pedaço de papel alumínio grande o suficente para embrulhá-la com o lado brilhante voltado para a carne. Guarde o líquido restante da marinada – ele será usado para finalizar a costelinha.

5. Leve ao forno por cerca de duas horas e meia. De tempos em tempos, regue a costelinha com seu próprio molho. Quando a carne estiver bem macia, abra o embrulho de papel alumínio e espalhe um terço do restante da marinada que foi reservada. Aumente o forno para 220 graus e deixe a costelinha assando descoberta. A cada 10 minutos, pincele mais um pouco da marinada. Asse até que esteja bem dourada e caramelizada.

Purê de batatas com alho
Ingredientes

– 600 gramas de batata de casca amarela (cerca de 5 batatas)
– 1 cabeça de alho
– 4 colheres de sopa de creme de leite
-2 colheres de sopa de manteiga
– Sal e noz moscada à gosto

Como fazer

1. Retire apenas a casca externa da cabeça do alho, mantendo os dentes juntos. Com uma faca afiada, corte a ponta dos dentes, deixando a beirada deles exposta, como na foto.

Foto: Simply Recipes

2. Regue a cabeça com um pouco de azeite, salpique sal e embrulhe em papel alumínio. Leve ao forno por cerca de 30 minutos, até que esteja bem macio e começando a dourar.

3. Enquanto isso, cozinhe as batatas. Se você tem um espremedor, parta as batatas em 8 com casca e coloque-as numa panela grande com água para ferver. Se não tem espremedor, descasque-as antes dessa etapa. Cozinhe até que fiquem bem macias e depois amasse-as.

4. Descasque os dentes de alho assados e amasse-os até formar uma pastinha. Se você gosta do sabor mais leve de alho e não quer usar tudo, é possível congelar essa pasta para ser usada depois.

5. Adicione o creme de leite, a manteiga, o sal e a noz moscada à batata. Misture bem e adicione o alho aos poucos, provando até chegar no ponto desejado.

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Flávia Dorado disse:

    Que receita tudo! Será que eu consigo fazer… sei não…
    Beijinhos com saudades!

  2. Fê Maria disse:

    i love carne vermelha! rs! e essa ai me deixou com água na boca! rs! bejo!

  1. 6 de junho de 2013

    […] Salada de inverno com mousse de gorgonzola Prato Principal: Costelinha ao molho barbecue e purê de batatas com alho Sobremesa: Trufas de nutella, chocolate e […]

Comente!