Sobre o blog (e o nome)

O Sal de Bolinha foi criado em 2011 da vontade de unir duas paixões: a comida e a escrita. Por isso, além de receitas, coloco aqui minhas memórias, crônicas e outros devaneios – ou o que nós mineiros gostamos de chamar de “causos”.

Acredito que cozinhar é mais que uma habilidade, é um ato político, de independência e autonomia. E o alimento, além de nos nutrir, tem um papel social e afetivo muito importante. A comida que eu faço – e defendo – é feita com ingredientes simples, especialmente vegetais de época, e com o mínimo possível de industrializados. Estou sempre conectada com o vivi na infância, quando, nas viagens em família para o interior de Minas, aprendi a limpar peixe, cozinhar na fogueira, assar pão no forno a lenha e comer goiaba do pé. Minha missão com o blog, além de reforçar estes aspectos, é mostrar a cozinha como um lugar acolhedor, de autoconhecimento, onde criamos memórias e compartilhamos histórias.

Aí você me pergunta, mas que raios é um “sal de bolinha”?

Para contar como surgiu o nome do blog, escrevi uma crônica, que é a versão longa da história. A versão resumida, que eu normalmente uso quando estou na mesa de bar e ninguém quer ouvir a explicação toda, é “porque nem todos os sais são iguais”.

E nem todo blog também.

Seja bem-vindo!