(…) Desafio “Vivendo Abaixo da Linha” – Dia 3

Fome, faim, faminem

Acordei mais cedo do que queria no feriado e a TV estava fora do ar. Isso significava que a internet também estaria. Fiz meu chá, comi meus dois biscoitos e sentei na mesa da cozinha pensando no que fazer. A mente viajou e me lembrei de quando fui a uma reunião dos Vigilantes do Peso, há muito tempo, e ouvi a moça explicando sobre os tipos de fome. Que deveríamos ser capazes de diferenciar a fome física da fome emocional. O objetivo era se livrar especialmente dessa última, que é quando a mente pede por comida – para manter um hábito, aliviar a ansiedade, por tédio ou qualquer outro motivo – sem que o corpo precise.

Achava que conhecia essas duas fomes muito bem – mas não sabia que um dia ia experimentar a fome física de um jeito tão intenso. Que ficaria esperando a hora do jantar sonhando com um alface bem crocante. Lembrei da minha mãe, na minha adolescência, respondendo à pergunta “mãe, estou com fome, o que tem para comer?” com um simples “tem pão”. Eu virava a cara e ela dizia “então você não está com fome de verdade”. Eu ouvia aquilo uma frase chata de mãe, mas agora entendo o que ela queria dizer. Que a fome associada à vontade de comer coisas específicas, e não necessariamente o que está disponível na geladeira, é diferente dessa fome que devoraria qualquer comida que estivesse pela frente.

É claro que minha fome durante o desafio também tem um componente emocional, pois estou cercada de comidas que poderia comer e com certeza essa tentação causa ansiedade. Mas nunca ouvi meu estômago roncar tão alto e tive a sensação de “cabeça leve” perdurar o dia todo. Em alguns momentos tenho dificuldade de concentrar e raciocinar. Fico pensando: se isso que eu estou sentindo é um milímetro da fome que as pessoas na miséria passam todos os dias, o que será que essas pessoas sentem então? Como será que é essa fome? Será que, como escuto muitas pessoas me dizerem, com um tempo elas se acostumam?

(Desafio “Abaixo da Linha” – dia 1 / Desafio “Abaixo da Linha” – dia 2)

Menu do dia

Almoco_dia_3

No almoço fiz uma farofa com farinha de milho, abobrinha e ovo que ficou ótima e rendeu também para o jantar!


Menu_dia_3

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Flávia Dorado disse:

    Ai miga, deu um aperto na garganta, mais que todas as vezes. E fiquei pensando o quanto somos privilegiados!

  2. San Prs disse:

    Felizmente a unica fome que conheço é a da dieta, e duvido que as pessoas se acostumem em passar fome, muito pode ser feito em relação a isso, muito interessante esse seu projeto.

    • marina maria disse:

      Obrigada Sandra! Que bom que inspirei uma reflexão em vc. Talvez a consciência da situação seja o primeiro passo para mudá-la. Um beijo!

Comente!