Tortografia + Salada Fatuche

Eu jurava que o jeito certo de falar era “bilete” e não “bilhete”. Achava que esse “h” no meio da palavra não estava no lugar devido e esse som cheio de baba não combinava. Elegante era o “l” sozinho, fazendo só a sobra da lingua – bi-le-te. Por outro lado, preferia dizer “papagalho” em vez de “papagaio”, porque, veja bem, nesse caso pensava que fazia todo sentido, já que era uma ave que estava sempre num galho. Papando o galho.

Meu irmão falava “berruga” e “vermuda” e, agora parando para pensar, “verruga” e “bermuda” dá mesmo para confundir. Ele um dia ficou muito animado achando que tinha inventado a palavra “projeto”. Eu não tive coragem de dizer que ela já existia; deixei ele descobrir sozinho.

Uma palavra que parecia impossível era “helicóptero”, o que quando crianca era um problema, porque me impedia de pedir corretamente o pirulito “pirocóptero”. E os bichinhos que voavam sobre os aguapés na beira do rio eram “lilélulas”.

Muitos ditados e cadernos de caligrafia depois, deixei a tortografia e aprendi ortografia. Só ficou um resquício: ainda me pego escrevendo muito “crocrante”. Talvez porque desse jeito a coisa pareça muito mais crocante mesmo.

***
Salada Fatuche
Essa não é a receita tradicional dessa clássica salada árabe, mas gosto de pensar que mantive o mesmo espírito dela. A mistura de sabores e texturas aqui é muito interessante, por isso acho que ela tem potencial para ser a estrela de um almoço ou jantar.


Inspirado daqui.
Rendimento: duas porções grandes

Ingredientes

Base
– 1/2 maço de alface lavada e seca
– ½ maço de rúcula lavada e seca
– 1 cebola roxa
– 1 romã

Croutons
– 2 pães sírios
– 1 colher de sopa de azeite
– ¼ de colher de chá de canela
– 1 pitada de sal

Molho
– 3 colheres de sopa de suco de limão
– 1 romã
– 2 colheres de sopa de geléia de frutas vermelhas
– 1 colher de sopa de azeite
– 1 colher de chá de mel

1. Para a base, rasque as folhas com as mãos e pique a cebola em rodelas. Retire as sementes do romã partindo-o ao meio e dando tapinhas na casca, fazendo com que as sementes se soltem. Misture-as à base.

2. Para os croutons, pré-aqueça o forno a 250 graus. Pique o pão sírio em pedaçoes pequenos e disponha-os numa assadeira. Regue com o azeite e polvilhe a canela, usando as mãos para que todos os pedaços estejam envolvidos na mistura. Leve ao forno por cerca de 5 minutos (fique de olho, vai assar rápido) ou até que os pedaços fiquem crocantes.

3. Para o molho, retire as sementes do outro romã. Coloque um punhado de cada vez na mão e aperte bem para extrair o suco, deixando que o líquido caia num recipiente. Adicione os outros ingredientes do molho, misture misture e prove para acertar o tempero.

4. Para servir, monte a base da salada, jogue metade do molho e misture bem. Salpique os croutons por cima e sirva o restante do molho por cima ou leve-o à mesa.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 7 de abril de 2015

    […] comum nos países árabes. Existem um monte de combinação possíveis (eu inclusive já fiz uma aqui), e o que mais amei nessa versão foi a adição do molho de iogurte, que dá um frescor e uma […]

Comente!