A torta de maçã da Vovó Donalda

– Filha, um dia desses você faz uma torta de maçã para mim?
– Faço, mãe. Tipo apfelstrudell?
– Não, tipo as que apareciam na revistinha do Pato Donald. Aquelas que ficavam esfriando na janela.

***
Essa conversa rendeu a receita deste post e também me fez pensar em como algumas comidas de desenhos, filmes e séries realmente ficam no nosso imaginário infantil. No meu caso eu teria um milhão de exemplos para dar, porque sempre fui uma criança muito interessada por comida (jeito discreto de dizer que tenho coração de gordinha desde pequena). Acho que essas são minhas referência mais marcantes:

– O sanduíche de presunto do Chaves. Esse é um dos meus sanduíches favoritos até hoje.

– O chá maluco de Alice no País das Maravilhas. Acho que foi daí que comecei a gostar muito de tomar chá e ter paíxão por cubinhos de açúcar.

– E o meu favorito: o bolo de camadas feito pela fada-madrinha Fauna no filme “A Bela Adormecida”. Na cena, as fadas querem fazer presentes para a Aurora sem utilizarem suas varinhas mágicas. Eu dou risada com esse trecho até hoje.

***

Torta de maçã da Vovó Donalda
Você vai achar que está dentro de um desenho animado quando sentir o cheiro dessa torta assando no forno. Se não puder fazer de um dia para o outro como sugere a receita, procure deixar a massa e o recheio por pelo menos algumas horas na geladeira. Isso fará toda a diferença. Outra dica: se a sua forma tiver mais do que 22cm de diâmetro, faça uma receita e meia (multiplique as quantidades por 1,5). A minha tinha 23,5cm e foi uma luta para não faltar massa!

Receita levemente adaptada do blog Cinara’s Place.

Ingredientes

Massa:

– 2 xícaras de farinha de trigo
– 3 colheres (sopa) de açúcar
– 1/2 xícara de gordura vegetal (100 gramas)
– 3 colheres (sopa) de margarina ou manteiga (60 gramas)
– 6 colheres (sopa) de água BEM gelada
– 1 ovo, clara e gema separadas, para pincelar

Recheio:

– 5 maçãs médias ácidas (eu usei Fugi), sem casca e caroço e cortadas em fatias finas
– 3 colheres (sopa) de farinha de trigo
– Suco de 2 limões pequenos
– 1 pitada de noz-moscada
– 1 xícara de açúcar misturado com canela (eu usei duas colheres de sopa de canela, mas faça ao seu gosto)

Como faz

Massa
1. Pique a gordura vegetal e a manteiga em cubinhos e deixe na parte mais alta da geladeira até ficarem bem geladas. Se o dia estiver muito quente, deixe alguns minutos no congelador.

2. A massa pode ser feita no processador ou não. No processador acredito que seja mais fácil e o resultado mais uniforme. Usando o aparelho com a peça de lâmina, misture tudo (menos a água), ligando e desligando o motor até a massa ficar com pequenos pedaços de manteiga. Com o motor ligado, adicione a água pelo tubo. Processe até que a massa solte dos lados da tigela. Retire e divida a massa em duas partes iguais.

3. Para quem não tem processador (como eu), o processo é assim: misture a farinha com o açúcar e adicione os cubos gelados de manteiga e gordura. Com duas facas, cruze-as como se estivesse “cortando” a massa, uma para cada lado, até que sobre bolinhas (do tamanho de ervilhas) de manteiga e gordura no meio da massa.

4. Vá adicionando a água gelada aos poucos e misturando com um garfo, até que seja possível juntar a massa numa bola. Essa massa não deve ser trabalhada demais, já que isso desenvolve glúten, que pode torná-la dura ou borrachuda. Além disso, o calor das mãos derrete a manteiga, e aqui queremos manter os pedaços de manteiga envoltos na farinha para que se derretam apenas no forno.

5. Leve a massa para a geladeira de um dia para o outro.

Recheio:
1. Depois de fatiar as maçãs, transfira-as para um pote  e jogue o suco de limão por cima.

2. À parte, misture a farinha, a noz-moscada e o açúcar já com a canela.

3. Jogue a mistura sobre as maçãs, misturando bem com as mãos. Tampe e deixe na geladeira até o outro dia.

Montagem:

1. No dia seguinte, em uma superfície bem polvilhada com farinha, abra metade massa com ajuda de um rolo. Para ajudar a formar um círculo, inicie com uma bola bem redonda de massa.

2. Depois de aberta, enrole a massa no rolo e transfira para uma forma de torta de alças baixas e de 22 cm de diâmetro. Forre o fundo e os lados com a massa, apertando com os dedos para que ela se acomode bem. Pincele o fundo da massa com a clara do ovo. Isso “sela” a massa, evitando que ela  absorva o líquido do recheio e fique encharcada.



3. Na hora de adicionar as maças, descarte praticamente todo o caldo que se formou durante a noite, reservando apenas algumas colheres de líquido. Acomode as maças formando um pico no meio e deixe para derramar o caldo reservado só no final. Se quiser, coloque pedacinhos de manteiga sobre o recheio.

4. Abra a outra metade da massa para fazer o topo da torta, usando o mesmo procedimento nos passos 1 e 2. Aperte as bordas para unir as duas massas. Pincele com a gema do ovo levemente batida e faça furos na massa com um garfo para que o vapor escape.

5. Pré-aqueça o forno em temperatura média-alta por 15 minutos. Nesse tempo, deixe a torta na geladeira.

6. Asse por 20 minutos. Abaixe a temperatura do forno para média e asse por mais 20 ou 25 minutos. A massa deve dourar e o recheio deve estar borbulhando.

Observações:

– A massa pode ser congelada por até 3 meses. Embale em filme de PVC e descongele na geladeira.

– Essa massa é chamada de pâte sucrée, que é uma variante doce da pâte brisée, um tipo de massa clássica da confeitaria, que pode ser usada como base em outras receitas.

Você pode gostar...

15 Resultados

  1. Mateus Scalon disse:

    No forno, eu deixo o dourador ligado, ligo ele no final, ou não ligo? Eu nunca sei, e tenho medo que dê errado. Obrigado.

  2. Cinara disse:

    Marina, sua torta ficou FABULOSA!!! Adorei seu post e as fotos passo-a-passo… Mas você arrasou mesmo com a foto da torta esfriando na janela! Fico feliz que você tenha aprovado a receita!
    Beijos e parabéns pelo blog delicioso… Vou colocar seu link no Cinara’s Place, OK?

    • marina maria disse:

      Ei Cinara, que feliz ver você aqui! A sua receita arrasou, tá vendo?
      Muito obrigada pelos elogios e pela força, seu blog foi um dos que sempre acompanhei e me incentivou a começar! Te agradeço por isso!

      Beijoca!

  3. Vânia Hermeto disse:

    Que delícia! Lembrei dos bolinhos da Tia Nastácia do Sítio do Picapau Amarelo.
    Meu filho ao ver os sonhos fritos envoltos no acúcar com canela, tradicão de natal da família, exclamou logo: – os bolinhos da Tia Nastácia! Ah!…infância querida…
    Um grande abraco e parabéns pelo blog. Vou acompanha-la.
    Vânia Hermeto

    • marina maria disse:

      Ah que delícia Vânia! Em breve quero por receita de sonhos aqui no blog, acho que são bolinhos que lembram a infância mesmo. Muito obrigada pela visita!

      Beijoca!

  4. Déa Lúcia disse:

    Foi ótimo comer a torta da vovó Donald. O sabor da infância ainda está na minha boca. BRIGADA

  5. Silvia disse:

    Que legal essa receita! Mas não fica massuda? Eu tenho um blog com umas receitas de pão – que eu adoro fazer. Se quiser, dê uma olhadinha:
    http://hug.spaceblog.com.br/r79245/9829-Pao-Caseiro-9829/ (este link dá direto nos pães) Abraço, Silvia.

    • marina maria disse:

      Silvia, se a massa for feita com a manteiga gelada e pouco trabalhada (diferente da massa de pão, ela não pode ser muito trabalhada) como está com receita, não fica massuda não. Fica quebradiça e bem leve. Na hora de abrir, procuro deixar ela o mais fina possível, sem que se quebre.

      Seus pães estão lindos! Obrigada pela visita!

  6. Tatá disse:

    Oh, Gosh. já posso sentir o cheirinho…fico pensando quais dessas receitas (não a receita, a comida, claro) vou querer de presente de aniversário…huuummm.

  7. Mario C. disse:

    Parece mesmo tirada de um desenho!

  8. Aqui que delícia! Guarda um pedacinho? rsrs

  1. 8 de janeiro de 2013

    […] 2. Coloque uma colher de água de cada vez e continue usando o botão de pulsar. Vá batendo por mais tempo, aumentando o tempo dos pulses, colocando água apenas até que a massa fique coesa, quase formando uma bola. É possível também fazer toda essa preparação com as mãos, como eu fiz nessa receita. […]

Comente!