Um carta de até mais ver

Queridos leitores,

essa carta começou a ser escrita no dia 1º de janeiro e só tomei coragem de terminar e publicar hoje, quase dois meses depois.

Muito antes da carta veio um processo mais longo ainda de admitir para mim mesma que a resposta para a pergunta “o que você quer fazer com o blog daqui para frente?” era mesmo “não sei”. Fiquei esperando essa resolução vir, até que entendi que a não-resposta era a resposta: o blog precisa de um tempo.

Como quem me acompanha aqui já percebeu, a frequência das postagens vem diminuindo desde o ano passado, quando tomei uma decisão importante de deixar de lado cobranças sobre números e audiência e blindar este espaço para que ele tivesse apenas aquilo que fizesse sentido para mim. Escrevi mais sobre isso aqui.

De tanto olhar para dentro, pensando no que eu queria cozinhar – e não no que estava popular no Pinterest – e sobre o que eu queria escrever – e não sobre o que as pessoas queriam ler -, aos poucos fui percebendo que, há muito mais tempo do que deveria, minha motivação não era interior. Fui procurando essa vontade genuína e acabei não encontrando, pelo menos não da forma que eu gostaria que ela se manifestasse.

Em vez de testar novas receitas, comecei a escolher mais frequentemente o conforto dos pratos que já conheço e amo, como o molho de ervilhas, os tomatinhos assados, o muttar paneer, o molho de limão siciliano, o bolo de chocolate sem farinha, o cheesecake… Às vezes penso na minha vó, que tinha vários livros de receitas e recortes de jornal guardados, mas sempre preparava os mesmos seis ou sete pratos, e todos sempre perfeitos. Talvez eu esteja me aproximando dela. Ou talvez seja um sintoma normal depois de ter publicado mais de 300 receitas. Foi ficando cada vez mais difícil responder à pergunta: o que eu gostaria de ensinar? Ou melhor: o que eu gostaria de aprender a cozinhar?

Que fique bem claro: o blog não acabou. Ele está apenas em um período sabático, para entender de onde veio e para onde vai. Peço desculpas por ter passado tanto tempo sem atualizar e agradeço de coração todo o carinho e o apoio de vocês <3. Eu continuo lendo e respondendo aos comentários dos posts, então a conversa continua – sempre, sempre.

Um abraço muito apertado,

Marina.

luftmensch_by_mathiole-d8rdg04

Ilustração: Mathiole

39 Resultados

  1. Evellyn disse:

    Encontrei o blog ontem e fiquei encantada. Espero que volte logo💛

  2. Teresa Newman disse:

    Sentirei falta das atualizações, mas aqui tem um acervo pra lá de bom… continuo por aqui. Volta logo!

  3. Karina disse:

    Marina,

    Eu nunca tinha lido seu blog. Até hoje. Procurava por uma receita e achei o nome do blog incomum. Pensei “certeza de que há uma pessoa e uma história interessante por trás deste nome. Então li suas receitas e outros posts. Já não lembrava o porquê de ter entrado afinal fui pulando de post en post, adorando tudo que via.
    E cheguei a esta carta. E a mais uma conclusão. Todos os seus questionamentos mostram que eu estava certa. Tenho certeza de que é uma pessoa incrível.

    Enquanto você está no seu ano sabático, vou recuperar o tempo perdido, lendo todos os seus posts.

    Se cuida, todo o carinho e abraços apertados para você!
    Karina

  4. lyliadiogenes disse:

    Oi Marina,
    hoje lembrei de você e vim aqui para conferir as novidades e me deparei com o “ano sabático ” do blog.
    Tomara que você volte logo com suas receitas e sua prosa que tanto me encantam.
    Bj,
    Lylia

  5. Marina, tudo bom? Espero que sim 🙂
    Não sou a leitora mais fiel, mas queria expressar como amo seu blog! Sempre gostei de cozinhar para quem amo e aqui que achei as melhores receitas: as que sempre tem uma pitada de afeto e sutilezas. A gente consegue sentir isso na comida e na sua forma de escrever! Foi o único blog em que me encontrei 100% e é o único que gravei sem esforço na mente.. e olha que procuro muitos! rs. Vou torcer para que você encontre seu caminho e logo descubra o que fazer com o blog! Mas principalmente para que tome seu tempo para respirar e fique bem. Se for para você não voltar, tenho certeza que ainda vai continuar espalhando amor na cozinha para seus próximos e isso por si só já é maravilhoso! Mas caso resolva voltar, aguardamos ansiosamente por mais uma daquelas aventuras na cozinha, cheia de carinho. Até breve! Abraços,

  6. Juliana disse:

    Marina seu blog inspirou muitas pessoas. Para mim em especial o “melhor bolo de chocolate do mundo”. Eu já fiz muitas vezes para muitas pessoas e também ensinei para outras. Sempre 100% de sucesso. Ficará marcado para sempre na minha vida e com certeza continuará me acompanhando. Obrigada! Boa sorte pra vc 🍀

  7. Érica Guerra disse:

    Deixará saudades. E que volte logo. Parabéns pelo trabalho.

  8. Mariana disse:

    marina,

    desejo que seu período sabático seja de muita luz. gratidão por tudo o que compartilhou por meio desse blog lindo, incluindo esse texto sincero e de muita força.

    um abraço,
    Mariana

  9. Marina, ainda que você parasse por aqui, o que tenho a te dizer que o seu blog é lindo e me inspirou inúmeras vezes. O seu bolo, cuja receita tem o título: “Um “até logo” com o melhor bolo de chocolate” virou mania aqui em casa e entre meus amigos. Sem contar no Bolo de Guinness, no Pic Nic, que inspirou o aniversário de minha filha, ente outras tantas delícias, que eu passaria a tarde escrevendo. Imagino como é manter um blog, nessa correria que é a vida de todos. Se você voltar, vamos adorar, mas se não, como te falei, valeu por tudo que você escreveu até aqui. Grande abraço, muita paz na sua vida e luz na sua caminhada.

  10. Alde disse:

    Boas energias Marina, um grande abraço de Belém do Pará!

  11. Carol disse:

    As melhores vibes p vc! Fique bem, independente de qual caminho trilhar… abraço apertado!!!!!

  12. Claudia Schreiner disse:

    Oi Marina!
    Também sentirei falta das atualizações, mas só as receitas que estão aqui já são uma contribuição enorme. E até fazer todas vai um tempão ainda. Minha ideia era testar várias, mas fico repetindo algumas de tão boas. Os tomatinhos assados, a pizza de dois ingredientes e o rigatoni com linguiça e mel estão entre elas.
    Mas eu queria te contar mais uma coisinha, que tem um pouco a ver com esse assunto de como nos relacionamos com a comida: há alguns anos eu encontrei o Não Conto Calorias, e a partir dele o teu blog, e depois o livro da Sophie Deram. Minha relação com a comida melhorou muito, e fazer a minha própria comida foi (e é) uma parte muito importante disso. Eu sempre gostei de fazer bolos, pães e bolachas. Mas a comida do dia-a-dia eu fazia por fazer, e fazia o básico. E esse blog, com tantas receitas boas, variadas, e várias delas descomplicadas, e num clima “vamos cozinhar porque é divertido e um ato de carinho com a gente” (acho que as fotos, os textos e o fato de não ser um trabalho “profissional” contribuem para esse clima) foi parte bem importante de encontrar a diversão em cozinhar. Eu não tinha um problema grande com comida, mas minha relação com a comida (e com meu corpo) melhorou muito.
    Saber que durante esse tempo, enquanto conseguias me ajudar, estavas passando por um transtorno sério me deixa tocada.
    Fico super na torcida por ti, em todas as áreas da vida 🙂

    • Marina Maria disse:

      Nossa, Claudia, eu li seu comentário tantas vezes, sabia? Que coisa boa saber que você pode descobrir esse caminho da comida afetuosa e consciente por meio do meu blog. Fico muito, muito feliz mesmo. Obrigada por todo esse carinho! Um beijo!

  13. Marina maria disse:

    Oi Marina!!! Olha q coincidência, meu nome tb é Marina Maria 🙂 e eu trabalho com gastronomia, sou professora de confeitaria e tenho uma loja de bolos decorados! Seria isso um sinal?! 🙂
    Boa sorte na sua jornada!!

  14. Alan Alves disse:

    Desejo – de todo coração – que seja o período mais breve possível. Estamos acostumados com esse cantinho incrível, onde as letras traduzem sentimentos sinceros e receitas carregam nostalgia e felicidade. Aguardo seu retorno.

    Fortíssimo abraço.

  15. Inaiá Dias disse:

    Marina, que Deus te ajude a encontrar o que seu coração anseia e o que for melhor para você! Estarei aqui quando você retornar. Beijos

  16. Monica Hering disse:

    Tenho certeza de que você vai conseguir encontrar um caminho para conviver bem com a comida!!! Passei mais de metade da minha vida comendo carne (ou tentando!) porque não tinha coragem de assumir uma decisão diante das pessoas a minha volta… (E todos os questionamentos que sempre apareciam…) Acabo de fazer uma revolução no meu blog e assumir minha opção de vegetariana. Estou me sentindo tão livre e tão feliz… A gente tem que procurar fazer o que nos faz bem… Mantenha contato… Sinto sua falta! Beijo com carinho

    • Marina Maria disse:

      Não tem nada como a sensação de vivermos a vida para nós mesmos, conforme o nosso passo, né, Monica? Te agradeço demais pelo carinho. E estou sempre pelo seu blog, mesmo não deixando pegadas por lá rsrs. Um beijo!

  17. Vera disse:

    Esqueça as receitas e escreva. Seus textos são excelentes. Quem liga pra receitas? Vivemos todas tentando emagrecer.
    Escreva sempre.

  18. Camila disse:

    Que vc possa voltar logo. Mas, até lá, vou seguir testando as suas receitas maravilhosas em casa!

  19. Te entendo as vezes também não seio oque fazer com meu blog. rsrsrsrsr.
    Pense, estude,se entenda que o povo aqui vai continuar lendo e se deliciando com sal de bolinha. Que seja um até breve, leve e tranquilo. Um beijo grande da Eliane.

  20. E eu continuarei aqui, visitando estas mais de 300 receitas incríveis, estes textos maravilhosos e mandando boas energias para que aquela coisinha estale seus pensamentos e vc diga: é isso!
    Obrigado por este blog incrível!

  21. Maria Auxiliadora disse:

    Obrigada. Que seja um até breve.

Comente!