Bolo 1-2-3-4

“Preciso postar no blog” virou meu pensamento de estimação. Tá sempre comigo quando acordo, durmo, bebo água, troco de roupa. Cada vez que acho que minha vida ficou um pouco mais tranquila e vou conseguir voltar a publicar aqui, aparece um trabalho novo (aliás olha aqui meu portfolio, me contrata rs) e me tira do prumo.

E antes da falta de tempo para postar, tem a falta de tempo (e ânimo) de descobrir novas receitas. A vontade tem sido de só preparar aquele prato que já fiz mil vezes e consigo repetir de olhos tapados – às vezes, o cansaço é tanto que estou com eles quase fechados mesmo. A última receita que postei aqui, um biscoito de chocolate, é uma dessas e o bolo de hoje também.

Aprendi a fazer ele aos 17 anos, quando morei alguns meses nos Estados Unidos. Lá era o mundo da comida pronta, onde cozinhar normalmente significava tirar da caixa e por no forno ou jogar na panela com um pouco de água. Um dia, Laura, a dona da casa onde eu morava, precisava levar um bolo para a festa da igreja, mas não tinha nenhuma mistura de bolo no armário. E nossa internet discada era muito lenta (quem nasceu depois dos anos 90 não vai entender esse drama), dificultando achar uma receita rápida.

Foi quando ela lembrou dessa fórmula mágica, apreendida com a avó: uma xícara de manteiga e de leite, duas de açúcar, três de farinha, quatro ovos. Foi uma sensação de ter vencido na vida quando batemos um bolo do zero e levamos ao forno. E teria sido um sucesso total caso minha amiga não tivesse aberto o forno várias vezes, na ansiedade de ver se estava tudo indo bem, e ter feito o centro do bolo afundar. Ela nem ligou: cobriu o topo com chantilly (aquele de spray, óbvio) e ficou muito satisfeita.

Foi nesse dia que ouvi da Laura uma frase inesquecível, que sempre me acalenta quando bate aquela tristeza de não estar conseguindo fazer algo da forma como eu gostaria, como no caso do blog. “Done is better than perfect”. Em português fica mais bonito: “feito é melhor que perfeito”.

***

bolo-1234 bolo-1234-3

Bolo 1-2-3-4

Além de ser fácil de decorar, essa receita permite um monte de variações. Para um bolo com sabor cítrico, por exemplo, é só substituir o leite por suco de laranja e adicionar cerca de uma colher de sopa de raspas de laranja ou limão à massa. No lugar do leite é possível ainda usar leite de coco e, com um pouco de coco ralado misturado à massa, temos um bolo de coco. Dá ainda pra acrescentar castanhas picadas, frutas secas, gotas de chocolate… E se quiser preparar um bolo menor, é só fazer metade da receita e usar uma forma redonda de 20 cm ou uma de bolo inglês pequena.

Rende um bolo grande ou 24 bolinhos.

Ingredientes

– 1 xícara de manteiga (200g) em temperatura ambiente
– 1 xícara de leite
– 2 xícaras de açúcar
– 3 xícaras de farinha com fermento*
– 4 ovos

*Para fazer a farinha com fermento em casa, misture ½ colher (chá) de fermento e uma pitada de sal para cada xícara de farinha – nessa receita, que leva 3 xícaras, levaria então 1 ½ colher (chá) de fermento e ½ colher (chá) de sal.

Como fazer

1. Preaqueça o forno a 180 graus. Unte e enfarinhe uma fôrma redonda grande (cerca de 25 cm de diâmetro). Eu fiz bolinhos individuais pra ficar mais fácil de levar de lanche; renderam 24.

2. Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até ficar macio, cerca de dois minutos.

3. Acrescente os ovos, um a um, batendo por cerca de 30 segundos após cada adição.

4. Junte o leite aos poucos.

5. Desligue a batedeira e peneire a farinha por cima da massa, misturando com uma colher de pau ou espátula grande apenas até ficar homogêneo.

6. Despeje a massa na forma e leve para assar por cerca de 30 minutos ou até que um palito saia seco ao ser inserido no meio. Espere amornar, desenforme e deixe esfriar totalmente antes de servir.

 

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Carla disse:

    “Melhor feito que perfeito”. Vou guardar isso pra vida!

  2. Suzana Quintino Soares disse:

    Marina minha Amada,
    Você não precisa escrever para nós toda semana… Porque quando você escreve, nos dá acesso não somente à uma receita, mas à mais um belo pedaço do seu coração.
    Gosto muito mais de intensidade do que de regularidade.
    O melhor de tudo é receber o feed que você postou, e dar um jeito de correr rapidinho para abrir o post e ver as belezas que você resolveu compartilhar.

    • Marina Maria disse:

      Ô Suzana, fiquei de coração quentinho de receber esse comentário seu. Muito obrigada, mesmo. <3 E me desculpe pela demora em responder seu comentário, tive um problema no plugin de comentários do WordPress; ele mandou um monte de comentário que não eram spam para a caixa de spam e eu só descobri agora. :/