Torta de liquidificador mais saudável

Sou filha da folia. Apesar de ser mineira, fui concebida na Bahia, no Carnaval de 83, e gosto de acreditar que isso influenciou na formação dos meus genes. Fez meu sangue ferver por qualquer batuque na esquina. Deixou meu coração se apaixonar por axé, ijexá, samba duro e samba reggae desde muito pequena. Permitiu que meu nariz fosse capaz de sentir cheiro de praia nos dias quentes de vento, mesmo quando estou no meio do asfalto, cercada de prédios.

Eu nem preciso participar da festa para sentir essa ligação com o Carnaval – basta saber que ele está por aí, acontecendo. Mesmo nos anos que não fui pro bailinho do clube ou que não dancei atrás do trio, mesmo quando fiquei em casa assistindo à trilogia do Poderoso Chefão, meu coração estava pulando.

Quem compartilha dessa paixão sabe que a  tristeza que bate quando terminam os dias de folia não é doída, sofrida, nem profunda. Não é paralisante, não é de chorar. É baixinha, fica lá atrás do coração, como se a gente tivesse perdido algo que não era nosso e que sabemos que vai voltar, mas que desejávamos que não fosse embora nunca. É como uma saudade atrasada e antecipada ao mesmo tempo.

Enquanto digito esse texto, estou vendo um ponto de luz grudado na pele do meu nariz. Assim como não basta usar sabonete para tirar toda a purpurina de quatro dias, penso que também não basta uma quarta-feira de cinzas para se livrar do Carnaval. Para os dois casos, só o tempo resolve. É preciso dar muito banho nos dias para nos acostumar de novo com o mundo real, esse onde não vamos para o trabalho com coroa de flor na cabeça, não ouvimos samba em cada esquina e não vemos piratas na farmácia ou no posto de gasolina.

Vai ver a gente nunca se desfaz totalmente do Carnaval. Nem da purpurina. Talvez eles fiquem só hibernando, esperando para sair do esconderijo ao primeiro som de um tambor.

***
torta-liquiificador-saudavel-light-3 torta-liquiificador-saudavel-light

Torta de liquidificador mais saudável

Que feijoada e moqueca que nada – se tem uma comida verdadeiramente brasileira, é a torta de liquidificador! rs. Todo caderninho de receita tem uma infalível e a minha veio das anotações da minha avó, mas fui adaptando para usar menos óleo e queijo e incluir farinha integral, deixando o resultado mais saudável. Claro que não é obrigatório – dá certo também usando só farinha branca. Não tem nada melhor para aproveitar as sobras na geladeira. 🙂

Ingredientes:

Massa
– 3 ovos
– 1 ½  xícara de leite desnatado
– 4 colheres (sopa) de azeite ou óleo de girassol
– 4 colheres (sopa) de queijo ralado
– 1/2 colher (chá) de sal
– Uma pitada de orégano, noz-moscada e pimenta-do-reino
– 1 xícara de farinha de trigo comum
– 1/2 xícara de farinha de trigo integral
– 1/2 xícara de amido de milho
– 1 colher (sopa) de fermento químico em pó

Recheio

Use cerca de duas xícaras de recheio. Algumas ideias:
– Frango desfiado, milho e pesto (foi a que usei)
– Couve-flor picada refogada com curry
– Tomate sem semente picadinho e muçarela ralada
– Brócolis picado refogado com alho
– Espinafre refogado e ricota
– Linguiça calabresa fatiada
– Queijo minas ralado, palmito e azeitona

Modo de preparo:

1. Preaqueça o forno a 200 graus. Unte e enfarinhe uma assadeira média.

2. Bata no liquidificador os ovos, o leite, o queijo, o sal, o orégano, a noz-moscada e a pimenta-do-reino por cerca e dois minutos. Acrescente aos poucos as farinhas e o amido de milho, batendo rapidamente, apenas até ficarem totalmente incorporados. Por último, junte o fermento, pulsando por alguns segundos só para que ele se misture à massa.

3. Distribua metade da massa na assadeira, espalhe o recheio por cima e cubra com o restante a massa.

4. Leve ao forno por cerca de 30 minutos ou até o topo ficar dourado e um palito sair seco ao ser inserido no meio. Espere amornar, corte em pedaços e sirva.

9 Resultados

  1. Laila Costa disse:

    Que delícia ver você falando do carnaval de BH, Marina <3 (no post anterior! rs) Tb sou desse horizonte belo e também já tive meus anos de preguiça, de ficar em casa e assistir dezenas de séries e filmes! Mas, também concebida no carnaval (mas de 1987), não tem como a gente não gostar e depois se lamentar porque acabou, né?! 🙁 Adoro seu blog 😉

  2. Mika disse:

    Adoro esse blog, vou testar a receita, sempre que leio um “mais saudável” no post eu já vou correndo testar.

  3. Erica disse:

    Vou testar! Qual o tamanho do tabuleiro q vc fez??? Pra saber o rendimento.

  4. Cristina disse:

    Posso usar somente farinha comum? Nada contra a integral, só não tenho em casa com frequência!

  5. Monica Hering disse:

    Amo torta de liquidificador! E a sua receita, na minha opinião, é perfeita: semi integral!!!