Um carta para começar o ano

Queridos leitores,

Preciso desabafar. Vocês já devem ter percebido que o blog não está sendo atualizado com a mesma frequência de antes. E não é só por falta de tempo – esse que parece ser o grande vilão na novela da vida – mas, principalmente, por excesso de angústia.

Nunca gostei de definir o blog só como um hobby, pois ele ocupa um espaço grande demais na minha vida e na minha rotina. Por outro lado, também não é o meu trabalho. Sua existência se dá nesse meio-termo – e é o que me permite ter, ao mesmo tempo, compromisso e espontaneidade com o espaço. Tenho total liberdade de postar sobre o que eu quiser e quando eu quiser; ao mesmo tempo, me preocupo com periodicidade, conteúdo, fotos, layout e tudo mais.

Nos últimos anos, com a evolução da internet e dos blogs, começaram a surgir outras preocupações: números, acessos, fãs, audiência, publicidade. Aliás, hoje em dia, quando conto para alguém que tenho um blog, muitas vezes recebo de volta perguntas sobre quantos acessos ele tem por dia, o número de fãs no Facebook, se ganho dinheiro com isso, em quais restaurantes já comi de graça, por que não tenho um canal no YouTube, quando vou virar blogueira profissional…

Comecei a me questionar se não devia mesmo dar esse salto no blog. Passei um tempo bem focada nisso, buscando números maiores, mais curtidas, mais seguidores. Planejando criar um canal no YouTube e fazer parceria com marcas. Uma parte de mim não queria se importar com tudo isso. A outra sentia que era preciso, que essas mudanças faziam parte de uma evolução necessária e sem elas eu iria ficar pra trás.

No meio dessa indecisão, quem ficou para trás foi o blog. Perdi a vontade de postar… Fiquei perdida, não sabia mais qual era minha motivação.

No último dia de 2015, no banho (onde sempre surgem as melhores ideias e as respostas para todas as questões da vida), cheguei à conclusão de que fico muito mais feliz com o blog quando não preciso me preocupar em ser popular. E minha parte favorita é ler os comentários de vocês contando que fizeram receitas, dando dicas e opinando sobre os textos. Me dei conta de que essa alegria proporcionada pela interação é a mesma se forem dois ou duzentos comentários.

É para esse lugar que quero voltar. E estar nele significa postar ao sabor do vento – não vou sumir de novo por um mês (prometo!), mas também não vou me forçar a publicar três vezes por semana só para manter os números de audiência.

Talvez eu esteja mesmo insistindo num formato que está velho. Pelo menos por enquanto, é dele que eu gosto. Prefiro remar contra a maré, ainda que a correnteza me canse de vez em quando, do que deixar o rio me levar para onde não quero ir.

Com muito amor e cheiro de bolo assando,

Marina.

unlimited_thought_by_mathiole

Ilustração: Mathiole

Você pode gostar...

64 Resultados

  1. ATorres disse:

    Marina, caí no seu blog três dias atrás, quando buscava uma receita de algo que nem lembro mais. Desde então, estou lendo suas receitas e textos. Mais os textos, que tem uma nostalgia muito agradável.
    Li seu desabafo, e te parabenizo por ter decidido manter o sentimento que deve ter tido ao escrever a primeira palavra, no seu primeiro texto aqui no blog. Prazer (sem compromisso)! Não aderindo as evoluções, pode ter perdido audiência, dinheiro, seguidores,… Mas manteve sua essência! Nessa época superficial, onde todos são tão “originais”, mas se comportam como bando, usando cortes de cabelo iguais, se vestindo como a “celebridade” X se veste ou indica, ouvindo “músicas” que insultam nossos ouvidos de tão ruins e pobres, é bom encontrar alguém que não se vendeu a esse “maisdomesmo”. Quanto mais as pessoas ficam iguais, mais faço questão de ser diferente. Parabéns pelo blog, textos, receitas e por se manter fiel ao seu ideal.

    • Marina Maria disse:

      Que comentário mais carinhoso, Torres, muito obrigado. Esse tipo de apoio é super importante pra mim! <3 E me desculpe pela demora em responder seu comentário, tive um problema no plugin de comentários do WordPress; ele mandou um monte de comentário que não eram spam para a caixa de spam e eu só descobri agora. :/

  2. Carol disse:

    Olá! Nossa, só tive oportunidade de ler esse post hj… nem sei pq… rsrs
    Gostei mto do que li, acho vc uma graça, sempre com textos tão sensíveis… tão acessíveis ao íntimo, às nostalgias… e as receitas M-A-R-A!!! heheheheh
    Fico feliz de vc estar feliz… e sou imensamente grata por compartilhar conosco!!!
    Ainda é tempo de, se não desejar ótimo ano novo rsrs, desejar um ótimo período sempre, lembrando q não é só no dia 1/1 q as coisas se iniciam…
    Bjo enorme, mta luz!!!!

    • Marina Maria disse:

      Ei Carol! Adorei ler seu comentários. Muito obrigada mesmo pelo carinho e o apoio! E sim, com certeza não é só no dia primeiro de janeiro que as coisas se iniciam – que bom, né? Um super beijo!

  3. Sandra Ferraz disse:

    Oi Marina! Encontrei seu blog por acaso, acredito que assim como muitas pessoas também. O que me encanta, muito mais que as receitas (oh sim, elas são ótimas!!!), são seus textos, creio que justamente por não serem feitos por obrigação e sim por prazer. São estórias deliciosas com as quais nos presenteia. Abraço!

  4. Danila Duarte disse:

    Oi Marina, tudo joia?
    Olha, não li os comentários pra não castrar minhas ideias. kkkk
    Há algum tempo, sou péssima com datas, sigo seu blog. Sou cozinheira profissional há 17 anos e há um tempo resolvi me meter a “aparecer” um pouco mais. Sou tímida mas apertei o botão do F****** pq já era tempo.
    Seu blog é pra minha arte mais que um a inspiração, seu jeito de escrever e o amor que vc imprime nas receitas me motivam de uma forma muito aconchegante.
    O fato é que, vc consegue fazer nesse blog o que eu sempre quis em meus projetos mais ambiciosos, escrever de forma honesta e verdadeira sobre aquilo que mais me emociona , a cozinha, o ato de cozinhar, e de ver nas pessoas a satisfação e o turbilhão de sentimentos e emoções que colocamos nas panelas.
    Se você vai continuar escrevendo, muito obrigada. Mas obrigada mesmo por tudo de bom que vc já me proporcionou.
    Sempre quero comentar, mas a vida é louca e eu bem mais. =)

  5. Nayara disse:

    Taí! Gosto desse blog por ser tão simples e tão rico ao mesmo tempo. Sinto falta da peridiocidade sim, mas mesmo que demore um mês, quando leio me alegra o dia =)

  6. Marina disse:

    Amo cozinhar e escrever e ainda sou sua xará! É o destino??? kkkkk
    Cheguei aqui no blog por acaso, através de alguma coisa que li no buzzfeed.
    Ah, foi da água de jamaica. Na verdade a receita ficou num plano secundário, pq o negócio do axé foi muito a história da minha adolescência tbm rs.
    Mas sabe o que mais gostei? Da historinha contada antes de cada receita. Que coisa mais gostosa. Amei a história do axé, a da amiga que usa batom vermelho e te indicou um programa de tv e por aí vai.
    Só queria dizer que não importa se o formato do blog tá velho ou ultrapassado e nem se ele te dá ou não dinheiro. Continue como está. Lindo, leve, perfeito. Quem realmente acha o blog excelente continuará vindo aqui. Certeza.
    Beijos, Marina.

  7. Maura Ghedini disse:

    Conheci, amei, e vou continuar lendo, seja de um jeito ou de outro!
    O importante é que continue assim … lindo e leve!
    Seja feliz… sempre!
    Beijocas

  8. Carol Furtado disse:

    Simples, sincero e lindo. Tem todo meu apoio, Li.

  9. Você é, atualmente, o centro do site. Isso acontece quando a gente trabalha com blogs. É exaustivo ser o editor, o financeiro, o marketing, o desenvolvedor, etc. A gente acaba perdendo o foco no conteúdo e no que nos dava prazer em relação ao blog.
    Faço isso há mais de 10 anos e minha sugestão para você é terceirizar essa parte chata (se você quiser investir no blog) ou simplesmente focar no que te faz feliz.

  10. Vera disse:

    Não sou boa de cozinha mas sei reconhecer uma boa leitura. Muitas vezes nem vejo as receitas, mas faço questão de ler os seus textos. São ótimos.
    Vá com calma. A angústia passa, as idéias se aclaram. Seja qual for a sua decisão, continue escrevendo. Não nos prive dessa felicidade.
    Parabéns.

  11. SORAYA QUAGLIATO NOGUEIRA disse:

    Marina, super te entendo . Tamo junto, amiga !

  12. Lilian disse:

    Continue assim!! Siga seu coração. O blog é ótimo! Bjos e Feliz 2016!

  13. Neia disse:

    Realmente o que importa é o que vc tem vontade de fazer e na forma que quiser. Recentemente descobri que não me interessa fazer a vontade dos outros, deixei meu cabelo ficar branco como ele quiser. E vc, escreva o que tiver vontade que com certeza atingirá muito mais profundamente seus leitores e seu interior.

  14. Cecilia disse:

    Oi Marina
    Com essa sua decisão penso que 2016 será mto bom p/ vc e p/ nós tbém, seus seguidores!

  15. Regiane Pusch disse:

    Adorei seu blog e acredito que é sua espontaneidade que faz ele especial. Continuarei lembro seus posts quando eles vierem.

  16. Fernanda disse:

    Eu acredito que vc tem que fazer pq gosta, assim terá retorno

  17. Mariana disse:

    é isso que torna esse blog especial, marina. encontrei ele por acaso e não largo mais. adoro ler suas histórias. 🙂
    espontaneidade é a palavra! deixe ela conduzir o sal de bolinha!
    beijos

  18. Ariana disse:

    Sua linda! O sal de bolinha é diferente pois tem coração pulsante, conversa boa e gente querida por trás de cada letrinha!
    Esqueçamos os números, este que nos aflinge, deixe eles pros matemáticos! Mas nunca se esqueça deste carinho, é ele que traz à tona todas as palavras e bonitezas!

  19. Alan Alves disse:

    Eu comentei a um tempo atrás em um outro post seu que vc não era a única a cair no medo e ansiedade – algo que nos assombrou em 2015. Neste ano desejo paz de espírito para que juntos possamos trilhar os caminhos difíceis juntos, mesmo que separados pela distância, mas juntos pelo que gostamos de fazer. Seu blog e seu estilo de vida são exemplos, faço questão de entrar no blog para ver suas postagens, fotos e receitas. Que em momentos de dificuldades possamos nos ajudar, não desanime, o dinheiro, sucesso e outros mais virão se tiverem de vir.

    No mais, eu posso dizer que tenho aprendido com você como ainda não tenho visto em outros blogs.

    Feliz 2016, e Eu estou aqui com vc!

  20. Leo disse:

    Seja qual for o caminho, seu dom, sua leveza e nossas paixões em comum continuam me inspirando. Feliz 2016, Nina! Vamos encontrar <3

  21. Suzana disse:

    Oi Marina,
    Faz um ano mais ou menos que curto seu blog, achei buscando alguma receita que nem me lembro, e foi amor à primeira vista.
    Acho que o livre arbítrio nos permite que: você poste e faça aquilo que realmente gosta, e que nós leitores, leiamos, ou deixemos de acompanhar você caso a gente não goste mais!
    E penso que, seja na vida, no trabalho, o legal é fazer o que te faça feliz. Se você é feliz com um blog onde traz pra gente receitas que você amou testar e cozinhar, ótimo.
    Se quer ser blogueira profissional, “taca-le-pau”, como falamos aqui em Santa Catarina rsrsrsr

    Apenas um comentário que faço, é que a blogosfera tomou uma nova proporção, que eu particularmente nem sempre gosto.
    Nós que gostamos de cozinha, temos os chefs profissionais, que estudaram, trazem técnicas e receitas que nem sempre um cozinheiro doméstico irá aplicar, e nos mostram isso em seus programas de TV ou em seus livros. Mesmo assim, é legal demais aprender com eles.
    E surgiram os blogueiros, gente como a gente, que gostava de cozinhar, de escrever as coisas que lhe iam à alma, e de compartilhar com outras pessoas.
    Sei que todos precisam de $$ para viver e pagar suas contas, porém, acho que o quer que seja que você faça, precisa colocar sua verdade nisso.
    E muitos blogs que eu amava, hoje, nove entre dez posts são “publi” ou “um oferecimento”. A pessoa começa com uma linda história de como resolveu criar aquela receita, e termina dizendo que, como tem compromisso com seus leitores, está assumindo que está sendo paga para fazer aquilo.
    E, digamos assim, teve recentemente por exemplo, uma marca de manteiga, que nossa, teve um pessoal que só tinha ideia de fazer receita que usava aquela manteiga!
    Claro que é legal, recebermos orientação de bons produtos para comprarmos, estarmos em dia com o que surge de bom e novo, mas será que tudo que nos oferecem, com base neste tal “compromisso com o leitor” realmente é bom?

    Entendo que “blogar” possa ser uma nova profissão. Talvez seja nostalgia minha, mas me entristece ver que algo que começou de forma tão sincera e pura ficou tão prostituído.
    Parece refletir a vida virtualmente perfeita das redes sociais, de como é legal, ganhar coisas de graça das marcas para testar, ir de graça nos restaurantes e hotéis, sei lá, mas acho que a vida real ainda é diferente disso.

    E o seu blog, com sua singular forma de descrever a vida, suas experiências em SP, os dilemas profissionais, o gatinho novo, o amigo que te ensinou a fazer pasta italiana “assim porque é assim que se faz”, é lindo de ver e viver, e diria que uma folga, dessa blogosfera cheia de compromissos publi com o leitor.

    Enfim, me alonguei demais, mas acho que você pode e deve olhar para o que passa no seu coração, e fazer aquilo que lhe fará feliz.
    Afetuosamente,

    • Marina Maria disse:

      Suzana, sua análise é perfeita. Realmente é muito difícil fazer um publieditorial ou um posicionamento de produto sem parecer forçado, mantendo o estilo do blog, com conteúdo realmente interessante – conheço poucos que realmente conseguem. Chega a ser um pouco ingrato, porque o blogueiro quer ser recompensado financeiramente pelo trabalho que tem no blog, mas ao mesmo tempo corre o risco de perder sua voz e seu público no processo. Enfim, dá pra gente sentar na mesa de bar e conversar horas e horas sobre isso. Adorei seu comentário e fico muito, muito feliz de ter o seu apoio 🙂 Um beijão!

  22. Simone disse:

    Marina, não escrevo tão bem quanto você, mas vou deixar aqui umas palavras.

    Não se sinta culpada e única, estas dúvidas da vida moderna nos assombram o tempo todo. A velha frase “casar ou comprar uma bicicleta” é a mais pura verdade. Eu me pego em dúvidas quase que a todo instante, quanta “sofrência”. O importante é que destas dúvidas saem soluções e determinações.

    Conheço pouco de você, só conheço o blog e mesmo assim não leio tudo, mas posso te dizer que, na minha humilde opinião, é de ótima qualidade. Você escreve muito bem, as receitas são ótimas (e o que gosto nelas é que você testa e coloca a sua opinião), você passa alegria e leveza. Um dia li um post seu sobre os vizinhos e de verdade?! Queria ser sua vizinha…hehehe.

    Qdo vc escreveu que estava morando em SP e que teria pouco tempo para atualizar o blog eu pensei, ah nem.

    Seja pouco ou seja muito, seja voluntário ou remunerado, saiba que você é muito boa no que faz e que eu amo quando chega um email do Sal de Bolinhas.

    Agora, quer uma sugestão? Se tiver a oportunidade de ganhar algum dinheiro com o seu talento não deixe isso para trás, aproveite o bom momento dos blogs, pois poucas pessoas tem a oportunidade de ganharem dinheiro fazendo o que gostam. Outro ponto é que a vida está muito cara, um extra não faz mal a ninguém.
    Ah, mas desde que o seu blog não perca essa cara leve e gostoso.

    Um beijo e espero vários causos e receitas tops.

    • Marina Maria disse:

      Fico tão feliz que você goste de acompanhar o blog, Simone. Isso é muito importante pra mim. Ah, e não vou fechar os olhos para as oportunidade, não! Só não vou me enlouquecer correndo atrás delas… rsrs. Um beijo!

  23. Samarone disse:

    Decisão acertada! (na minha opinião, claro!haha)
    Feliz ano novo pra vc!! <3 <3
    Bjão

  24. Mirinha disse:

    Nina, querida, decisão mais que acertada. Temos que ir para onde nossas verdades nos levam. Parabéns pela honestidade. Beijos. Mirinha

  25. “Uma parte de mim não queria se importar com tudo isso. A outra sentia que era preciso, que essas mudanças faziam parte de uma evolução necessária e sem elas eu iria ficar pra trás.””
    Me dá a mão aqui amigue!
    Brincadeiras a parte, você brilha sempre! Beijos da fã – que usa receitas para os pacientes!

  26. Monica Hering disse:

    Adoramos suas receitas, seus textos, e sua postura!!! Siga seu instinto, e tudo vai dar certo! beijos

  27. Regina Toledo disse:

    Feliz 2016, Marina. Eu gosto do seu blog. Achei vc pq coloquei : ” massa caseira italiana” pra procurar. Vi o seu passo-a-passo e fiz sua receita. Ficou divina! Amei! Agradeço sua amabilidade em ensinar. Obrigada.
    PS: não se angustie, pois sempre há espaço para todos!

  28. Andreia disse:

    Parabens pela decisão! Que permaneça enquanto te faz feliz…

  29. Camila disse:

    Que bom que continuará por aqui, Marina. Cheguei ao seu blog por acaso e simplesmente amo suas receitas, especialmente os bolos. Que venham muitas outras!

  30. Eloisa disse:

    Querida Marina, a isso eu chamo qualidade de vida.E o que eu tenho buscado para mim: menos é mais. Tomara que essa decisão aumente seu IFB! <3

  31. Tarcizio disse:

    Estou contigo e não abro!Sempre,sempre,sempre!

  32. O que importa é ser feliz!!! Se assim, como está, você está feliz, eu tô feliz também!!!

Comente!