Molho foriana

Ato I

Ando de um lado para o outro na rua, com meu GPS ligado no celular, tentando encontrar o número onde o Google Maps indica o ponto de ônibus. Não encontro. Entro dentro de uma papelaria para pedir informações.

– Bom dia, você sabe onde tem um ponto de ônibus aqui perto?
– É bem ali na frente, ó. Naquele poste.
– Mas ali não tem placa de ônibus.
– É, mas é o ponto. É só dar sinal que ele para.

Ato II

Estou indo até a Vila Mariana e o ônibus quebra entrando na Avenida Paulista. O motorista avisa que todo mundo tem que descer e que eles estão com falta de carros rodando, então o próximo vai demorar uma meia hora. “A não ser que a gente tenha um mecânico aqui dentro”, ele fala em tom de brincadeira. O homem na cadeira na minha frente levanta e fala que ele sabe consertar carros. Os dois vão lá pra fora, voltam depois de dez minutos e o ônibus está consertado.

Ato III

Seis da manhã no ônibus. Frio, chuva e escuro lá fora. Muito sonolenta na cadeira, percebo que estou indo na direção oposta de onde preciso. Pergunto ao trocador.
– Oi, esse ônibus não tá indo pra Barra Funda?
– Não, tá indo pra Lapa.
– Mas ali na frente tá escrito Barra Funda.
– Ai, é que esqueci de mudar o letreiro. Por isso é sempre melhor prestar atenção no número, moça.
– Mas o número também é o do Terminal Barra Funda.
– Não, esse aqui é o 748A, o que vai pro terminal é o 748R. Ah, mas pensando bem, de longe o R e A parecem meio a mesma coisa, né? *risos*

Ônibus em São Paulo: só para iniciados. Ainda bem que outras coisas na vida são tão mais simples – como essa receita de hoje. 😉

***

molho foriana molho foriana-4

Molho foriana

Esse molho se originou em Forio, cidade da ilha italiana de Ischia, e ainda é pouco conhecido pelo mundo. Ele é crocante, salgadinho e tem um leve doce das passas (se você não curte passas, pode omitir, mas eu também não sou fã e achei essencial nessa receita). Para servir com massa, use cerca de 4 colheres de sopa do molho por pessoa. Coloque o molho na travessa que for servir a massa e, quando o macarrão estiver no ponto, escorra e rapidamente transfira para o recipiente, misturando com um pegador. Também fica uma delícia servido como antepasto, para comer com pão ou torradinhas, como molho na salada ou para acompanhar peixes delicados, como a truta e o salmão. Ah, e é ótimo pra dar de presente!

Ingredientes

– 1 xícara de nozes
– 1 xícara de amêndoas (usei com pele mesmo)
– 8 dentes grandes de alho
– 3 colheres (chá) de orégano seco
– ½ xícara de passas brancas
– Sal e pimenta a gosto
– Cerca de duas xícaras de azeite para cobrir os potes

Como fazer

1. Comece esterilizando o pote de vidro onde você vai guardar o molho. Ferva uma panela grande com água, coloque o recipiente e a tampa e deixe ferver por 10 minutos. Retire o pote com uma pinça e deixe secar em cima de um pano limpo. Faça o mesmo com a tampa.

2. Junte as nozes, as amêndoas, o alho e o orégano no processador e pulse até que fique triturado, porém ainda úmido e com carocinhos  (lembra granola). Adicione as passas e pulse rapidamente, só para diminuir um pouco o tamanho delas. Se você não tiver processador, dá pra fazer esse processo com uma faca bem afiada (e paciência). Evite usar o liquidificador, pois ele pode deixar a mistura fina demais.

3. Aqueça três colheres de sopa de azeite em uma frigideira grande. Abaixe o fogo, junte a mistura que estava no processador e tempere com sal e pimenta. Vá mexendo sem parar com uma colher grande por uns dez minutos, até perfumar bem e você perceber que a mistura dourou levemente. Prove para acertar o tempero e retire do fogo.

4. Transfira a mistura para o pote esterilizado e cubra com azeite até ficar cerca de 1 cm acima do molho. Tampe e guarde na geladeira por até duas semanas. Quando for usar, deixe chegar em temperatura ambiente, retire a quantidade necessária e cubra o que restou no vidro com um pouco mais de azeite. É importante sempre usar uma colher limpa para mexer o molho para evitar contaminação.

6 Resultados

  1. Olimpia Rosa disse:

    Que delícia de site!!!! Parabéns, Marina Maria!

  2. Ana Luisa disse:

    O quão essencial é esse tanto de alho? Aqui em casa o pessoal é anti-alho então pensei se colocar menos mata a receita ou não.

  3. Elisa disse:

    Acho que é óbvio, mas no passo 1 não seria melhor escrever: coloque o recipiente “e” a tampa, em vez de “com a tampa”? vai que alguém esteriliza o pote tampado… rsrsrs

    beijo, amei a receita! vontade de fazer!