O tal sal de bolinha

(Esse é o post número 200 do blog! Para comemorar um marco tão importante, resolvi contar a famosa história de como o nome surgiu…)

Os melhores livros e filmes já nos ensinaram que uma ótima história pode ter um início banal. Essa começou com três amigas na mesa de bar, alguns dias antes de uma delas se casar. Não era uma despedida de solteira; na verdade, não existia um motivo desses que dá pra nomear, a não ser a vontade de beber, comer e falar besteira.

Apesar de sermos amigas há mais de dez anos, poucas vezes deixamos chegar naquele momento da conversa onde beber tequila parece o melhor a se fazer. É preciso um nível certo de empolgação, risada e teor alcóolico para essa lâmpada acender como se fosse a melhor ideia da noite.

Lá pela terceira dose, ao abrir o pacotinho de sal na mesa para cumprir o ritual sagrado da tequila, uma das amigas começou a reparar no formato dos grãos – e se convenceu de que aquele sal era diferente dos outros. Disse, como quem tivesse feito uma descoberta newtoniana: “Gente!!! Esse sal é de bolinha!!!” Não era (só) conversa de bêbada. Em vez de pedacinhos irregulares formando um pó fino, aquele sal parecia ser composto de minúsculas bolinhas mesmo.

A noite de “ótimas ideias” estava só começando: teve gente perdendo a chave do carro, conversando com a placa de pare, bicando uma festa de adolescentes que jogavam Wii – e roubando a cena no joguinho de dança -, tomando um viagra vencido na carteira achando que era neosaldina, comendo McDonald’s às 4 da manhã…

Para além da diversão, esse dia do “sal de bolinha” me mostrou como é empolgante ver as miudezas do mundo mais de perto ou sob outro ângulo. Permitir que uma bebida, piada, foto, companhia ou qualquer outra coisa trivial da vida te puxe pelo braço e mostre as curvas escondidas no cotidiano. A partir daquele encontro, entrei num caminho sem volta, numa busca interminável pela poesia do dia a dia.

Engraçado que a gente tenta escolher quais vão ser os momentos mais memoráveis, planejamos aniversários, festas de ano-novo, despedidas; e no fim das contas, o algoritmo do que torna um dia especial está totalmente fora do nosso controle. Parece que só a vida sabe gerar.

saldebolinha_quote

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Flávia Dorado disse:

    Gente, comué que eu não tinha lido isso antes? haha. Esse dia foi incrível!
    E o Sal de Bolinha surgiu na vida da Nina, na nossa vida…
    Deu uma saudade louca agora daquela noite!

  2. E o que aconteceu com o cara que tomou o Viagra vencido?!

  3. Coisas que são certas após essa leitura: quero uma noite de tequila com você; que venham mais 200 posts elevado a mil; adorei saber um pouco mais da história do blog 🙂