Na época + Clafoutis de abobrinha e tomates caramelizados

Às vezes me pergunto: num mundo onde eu não precisaria comer vegetais, o que realmente teria na minha geladeira? Milho, com certeza. Abóbora, cebola e batata também. Alface acho que só a americana – e mais por força do hábito. Cenoura talvez para fazer bolo. E tomate. Muito tomate. De todas as cores e formas, se pudesse. A única pessoa que conheço que gosta mais de tomate do que eu é minha amiga Natália – quando ela encontra essa palavra no cardápio, nem precisa ler o resto das opções (eu ainda passo o olho tentando encontrar alguma coisa com bacon).

Nos primeiros meses do ano eu sofro, pois a safra do tomate não costuma estar boa. O preço sobe e o sabor diminui. Dessa vez, depois de levar muito tomate caro e aguado pra casa , prometi para mim mesma que só voltaria a comprar quando ele estivesse novamente na época – mas falhei. Como tinha sempre tomate no mercado, não resisti e andei comprando alguns, que pesaram no bolso e decepcionaram no gosto.

Assim como o tomate, hoje em dia conseguimos achar praticamente qualquer verdura, legume e fruta o ano todo. O problema disso é que, para produzir esses alimentos fora do tempo, é preciso usar mecanismos que enganam a natureza, como agrotóxicos que adiantam ou atrasam o crescimento das plantas, amadurecimento artificial, refrigeração, e por aí vai. Isso faz mal para o bolso, para a natureza e para a saúde. E a responsabilidade não é só do produtor; é de todo mundo que consome alimentos fora de época e, portanto, gera essa demanda. É minha, que compro tomate caro e ruim, é de quem acha lindo comer morango em fevereiro, é dos restaurantes que servem figo em setembro…

Sei que não é tão simples assim comprar só produtos de época, principalmente para quem trabalha com comida e muitas vezes depende da produção anual de algum alimento. Mas queria fazer uma proposta para os que são, como eu, apenas cozinheiros: vamos tentar comprar só o que está na safra? Agora, por sinal, vai começar a do tomate. Essa semana vi as primeiras bandejinhas de tomate-cereja no mercado, bem gordinhos e com preço bom, e finalmente fiz uma receita que guardava desde março. Valeu a espera.

***

Clafoutis de abobrinha e tomates caramelizados

O clafoutis na verdade é uma sobremesa francesa, tradicionalmente feita com cerejas. Essa versão salgada é bem versátil: se não quiser usar os tomates e abobrinha, dá pra rechear com outros vegetais e até com presunto, frango ou salmão. Dá para fazer em potinhos individuais e servir como entrada, mas aqui em casa virou um jantar bem leve e saboroso.

clafoutis de abobrinha e tomates-8

Adaptado do livro La Tartine Gourmande

Ingredientes

Para o recheio
– 2 colheres (sopa) de azeite
– 1 cebola roxa fatiada
– 2 dentes de alho picados
– 1 folha de louro
– 300 gramas de tomates cereja
– 1 colher (sopa) de vinagre balsâmico
– 1 colher (chá) de açúcar (usei mascavo)
– 1 abobrinha italiana bem verde (cerca de 200 gramas) cortada em rodelas
– 10 folhas de manjericão

Para a massa
– 3 ovos
– 1 ½ xícara de leite
– 1 xícara de farinha de trigo
–  1 colher (chá) de fermento químico em pó
– ½ xícara de queijo ralado (usei Minas, mas pode ser parmesão, muçarela, prato ou qualquer outro que derreta bem)
– Sal e pimenta à gosto (usei 1 colher (chá) cheia de sal e ½   colher (chá) pimenta moída na hora – na hora de temperar, lembre que o queijo já tem sal)

Como fazer

1. Preaqueça o forno a 200 graus. Unte uma assadeira média (a que usei tem 30 x 22 cm).

2. Em uma frigideira grande, no fogo médio, aqueça metade do azeite. Junte a cebola e mexa até que ela comece a amolecer.  Junte o alho e a folha de louro e mexa por alguns segundos, até perfumar.

3. Adicione os tomates inteiros e deixe cozinhar por cerca de 3 minutos, mexendo delicadamente de vez em quando, até que a pele deles comece a enrugar levemente.  Junte o açúcar e o vinagre e deixe cozinhar por mais 3 minutos. Retire a folha de louro e transfira o tomate para uma vasilha.

4. Na mesa frigideira, no fogo alto, coloque o restante do azeite e salteie a abobrinha por alguns minutos, apenas até dourar. Faça isso em levas, pois se ficarem amontoadas na frigideira, vão soltar agua e cozinhar em vez de dourar.

5. Em uma vasilha, bata os ovos com o leite. Misture o fermento à farinha e adicione aos poucos, mexendo com um fouet até que vire uma massa lisa. Junte o sal, a pimenta e o queijo e misture.

6. Espalhe o recheio de abobrinha, cebola e tomates no fundo da assadeira e entorne o líquido por cima. Espalhe as folhas de manjericão no topo e leve ao forno por cerca de 30 minutos ou até que o clafoutis esteja firme e dourado na superfície. Espere esfriar um pouco e sirva.

clafoutis de abobrinha e tomates-4

clafoutis de tomate

clafoutis de abobrinha e tomates-7

 

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. 8 de maio de 2014

    […] – Clafoutis salgado Minha receita curinga, aquela que aproveita as sobras da geladeira e vira um lanche ou jantar delicinha. Amo! […]

  2. 20 de outubro de 2015

    […] estava em plena safra, com preços ótimos, a geladeira cheia delas, o que fazer.? Foi quando vi essa receita, do excelente Sal de Bolinha, que sempre partilha delícias conosco.Com todos os ingredientes em […]

Comente!