Em busca de uma galinha caipira + Bolinhos de frango, maçã e sálvia

Toda cidade tem seu templo de achados. Aquele lugar que você sabe que pode ir para encontrar até o “incontrável”. Se lá não tem, pode desistir. Aqui em BH esse lugar é o Mercado Central. Lá já comprei cesta de piquenique, muda de tomilho, pomada para machucado, fava de baunilha, bolo de rolo e até chá que faz o cabelo crescer.

O Mercado foi meu destino quando decidi comprar uma galinha caipira, cismada que queria saber como é preparar e comer uma galinha de fazenda e não de supermercado. Eu tenho comprado aquelas bandejas com os cortes de frango limpos e, da última vez, me impressionei com o tamanho do peito. Fiquei tentando imaginar a dimensão do bicho que produziu aquele pedaço. Não parecia coisa normal, não.

Determinada a comer um pedaço de frango não-anabolizado, peguei minha sacola e fui para o Mercado Central, achando que ia resolver minha vida em no máximo 20 minutos. No primeiro açougue foi assim:

– Moço, vocês tem galinha caipira?
– Pra vender??? (ele me perguntou como se eu pudesse estar me referindo a ter em casa, o que me fez pensar, “será que ele tem em casa?”)
– É…
– Mas aqui é um açougue.
– Eu sei, mas vocês vendem frango, não?
– Sim, frango tem. A coxa tá em promoção, quer levar?
– Não, eu queria um assim inteiro, caipira, sabe.
– (…)
– Sabe onde posso encontrar aqui no mercado?
– Ah, tenta lá na parte dos bichos…

Essa seção onde ficam os animais vivos para vender me aterroriza desde criança. Eu não gostava de ir lá nem para ver os filhotinhos de cachorro, gato e coelho, porque eles estavam sempre meio tristes nas gaiolas e os corredores fediam muito. Mas, se era isso que eu precisava para conseguir minha galinha, prendi a respiração e fui em frente.

Quando parei no primeiro estande e perguntei se eles sabiam onde eu encontrava uma galinha caipira já pronta pra cozinhar, o moço me deu um cartão e falou: “liga lá que eles matam uma pra você ainda hoje”.

Antes de ir embora, vi de relance as galinhas amontoadas na gaiola. Eu tentei, juro que tentei, não me apegar a nenhuma delas, não reparar que tinha uma pretinha com penas brancas perto do pescoço, e outra marrom-claro bem gorducha… em pensar qual seria o destino de todas elas, arriei. Entreguei o cartão de volta. É claro que sei que toda carne que como estava viva um dia, mas não tive coragem de encarar essa realidade assim. Acho que se precisasse matar um bicho desses para não morrer de fome, eu morria. Olhei pro moço cabisbaixa, agradeci e fui embora.

Cheguei em casa sem moral, sem galinha e com o tal super frango na geladeira. E pensei: bem, já que o coitado tinha morrido mesmo, o melhor a fazer era honrar sua morte e usá-lo para fazer um almoço bem gostoso…

***

Bolinhos de frango, maçã e sálvia

Não temos hábito de comer carne no café da manhã, mas esse tipo de bolinho é comum no desjejum americano. Num brunch, seria perfeito! Mas eu acabei usando para meu almoço mesmo, e já sei que vai virar frequente por aqui.

bolinhos de maca frango e salvia

Rende cerca de 16 bolinhos

Ingredientes

– 450 gramas de frango moído (se o seu açougue não mói frango, dá para fazer isso no processador de alimentos ou então usar uma faca bem afiada para picar bem fininho.)
– 1 colher (sopa) de azeite
– 1 cebola pequena picadinha
– 2 maçãs pequenas, sem casca e sem sementes, picadas em cubinhos bem pequenos
– ⅓ de xícara (chá) de sálvia fresca picadinha
– ¾ de colher (chá) de pimenta do reino
– 1 colher (chá) de sal
– pitada de canela

Como fazer

1. Aqueça o azeite em um frigideira no fogo médio. Refogue a cebola até ficar transparente. Junte as maçãs e continue cozinhando até que comecem a ficar macias.

2. Numa tigela grande, junte todos os ingredientes e misture com as mãos rapidamente, apenas até ficar homogêneo. Pegue cerca de 4 colheres de sopa da massa, forme uma bola e achate o topo na palma da mão. Leve à geladeira por pelo menos uma hora (você pode também congelar nesse ponto).

3. Na hora de preparar, aqueça um pouco de azeite em uma frigideira no fogo médio e doure os dois lados do bolinho. Se perceber que os bolinhos já estão bem dourados por fora, mas o meio ainda não está cozido, leve-os para o forno em 180 graus por alguns minutos, até completar o cozimento. Como fiz bolinhos pequenos, comigo não foi preciso essa etapa. Sirva em seguida!

bolinhos de maçã frango e sálvia-3

 

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Olá, tem toda razão, mas nossos frangos são tratados segundo as regras do bem estar animal e o abate é humanitário, caipira mesmo! Dê uma olhadinha em nosso site. Obrigada por se importar com os animais. http://www.terrafrangocaipira.com.br.

  2. Ana Paula Doné disse:

    Ei Marina, eu estou atrasada no comentário, mas você pode encomendar uma galinha caipira com a moça que vende verduras orgânicas na igreja do Carmo domingo de manhã. Inclusive, ela tem ovos orgânicos.

  3. Querida sobrinha ! Aqui perto de casa a gente pode comprar uma galinha viva .É só me avisar que eu te ajudo no abate . Isso não é bicho de 7 cabeças pra mim. Pode ser pato ou até peru … menor problema .Conte comigo. Bijus !

Comente!