Estantes de saudades + Sopa de tomates pelados assados

Guardo minhas saudades como numa biblioteca. Cada uma é identificada, lida e catalogada. De tempos em tempos, passeio pelos corredores e folheio algumas saudades antigas. E quando uma nova chega, é sempre uma surpresa. Parece que nunca deixo de me impressionar com o tipo de coisa que me desperta saudade.

A mais nova aquisição da biblioteca foi a “saudade do cheiro de sopa da minha mãe”. Eu nunca gostei de sopa – era uma comida muito comum na minha casa, freqüentemente oferecida para os filhos, mas constantemente negada. Hoje em dia eu até como, mas são poucas as que gosto. Quem diria que, depois de tantos anos, e de tantas coisas já cozinhadas pela minha mãe, eu ia sentir saudade justo do cheiro da sopa.

Havia algo no perfume do refogado de alho que me dizia “minha mãe está por perto”. E como eu sabia que aquela comida não estava sendo feita para mim, era um cheiro que sentia de forma sutil – não causava ansiedade para saber quando ficaria pronto ou o que estava sendo feito na cozinha. Era como aquela mão que um amigo encosta no seu ombro para oferecer apoio. Diferente de um abraço, a delicadeza dessa mão repousada nas costas oferece um tipo de presença mais delicada.

Andando pela sessão “Comidas”, vejo que a maioria das saudades eu coletei da infância. Os docinhos em formato de fruta que minha tia Silvia me dava de presente no meu aniversário. A coxinha de frango da cantina da escola. Chocolate Surpresa. A farofa da tia Zizi. O docinho de amendoim da minha avó. O enrolado de salsicha do clube.

Saindo desse corredor, me deparo com outras tantas prateleiras, com milhares de outras sessões, incluindo a mais difícil de organizar: “saudades do que ainda não vivi”. Passo também pelo lugar onde guardo alguns objetos, como a rede de balanço colorida da minha casa antiga e o sapato de veludo vermelho da minha mãe que eu calçava quando era criança.

A parte onde ficam as saudades das pessoas eu não costumo visitar tanto: enquanto as outras saudades são pequenas, no sentido de causar apenas um apertinho no coração, junto com um risinho no canto da boca, essas são grandes, e me deixam feliz na medida proporcional em que me causam dor.

Às vezes acho que tenho tantas saudades que elas não vão caber em mim. Mas depois me lembro que, como em qualquer coleção, essa também só aumenta; nunca diminui.

***

Sopa de tomates pelados assados
Mesmo sem ter exatamente o mesmo cheiro que as sopas da minha mãe, essa é muito perfumada. A preparação do tomate pelado no forno dá um sabor mais intenso ao prato, que fica ótimo servido de entrada ou como uma refeição leve acompanhada de torradinhas.

Sopa de tomate pelado assado

Ingredientes

– 1 lata de tomates pelados (400 g)
– 1 colher de sopa de azeite
– ½ colher de sopa de açúcar mascavo
– ½ xícara de caldo de legumes
– 1 dente de alho picadinho
– 2 colheres de sopa de creme de leite
– Sal e pimenta-do-reino à gosto

Como fazer

1. Preaqueça o forno a 150 graus. Coloque uma peneira sobre uma tigela e derrame a lata de tomates sobre ela. Com cuidado e usando uma faca bem afiada, parta os tomates ao meio, se livrando do excesso de líquido que estiver dentro deles. Guarde o suco do tomate para o restante da preparação.

2. Numa assadeira, coloque os tomates com a cavidade para cima, regue com azeite, tempere com sal e pimenta e polvilhe o açúcar por cima.

3. Leve ao forno por cerca de 40 minutos, ou até que o tomate comece a caramelizar nas bordas. Deixe amornar e em seguida bata no liquidificador com o suco do tomate reservado e o caldo de legumes.

4. Em uma panelinha, refogue o alho em fogo baixo com um pouco de azeite. Junte a sopa, misture e adicione o creme de leite. Deixe levantar fervura, acerte o sal, desligue o fogo e sirva. Eu decorei com um raminho de tomilho e um fio de creme de leite.

Sopa de tomate pelado assado-2

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Erica disse:

    Que lindeza este seu texto sobre saudade!!!…
    De uma delicadeza que só vc é capaz!!!…
    Vou experimentar esta sopa e te conto!
    Aliás, vi uma parecida no “Moldando Afeto”… Vc já viu esta lá? Só que o Gui faz com tomate normal… Tem até um vídeo dele com a Lu.
    Beijocas no coração!

  1. 30 de agosto de 2013

    […] 3. Sopa de tomate assado […]

  2. 10 de outubro de 2013

    […] passo pelas minhas saudades como se estivesse folheando alguns livros, que logo voltam para a estante. Tem um tempo já, no entanto, que apareceu uma saudade bem diferente, grande e genérica, que por […]

Comente!