Parede branca + Pãezinhos de cerveja e aveia

Um dia me disseram assim: “uma cortina na parede, um tapete no chão, e a coisa toda começa a ganhar sentido”. A coisa, no caso, seria uma casa, mas a frase me fez pensar como é constante essa tentativa de preencher espaços. Colocamos sofás nas salas, livros nas estantes, palavras nos silêncios.

Quando mudei para o apartamento que moro hoje, tinha uma parede branca na sala que me deixava louca. Eu queria urgente que ela fosse azul ou que tivesse um quadro, pois me parecia que uma parede branca não tinha propósito. Estava subutilizada. Estava vazia. De tanto olhar pra ela, comecei a me perguntar: por que essa parede me incomoda tanto? Será que está vazia mesmo?

No livro Tudo se ilumina, de Jonathan Safran Foer, tem uma frase assim: “não era o sentimento de completude que eu precisava, mas sim o sentimento de não estar vazio.” Pensando bem, existe uma grande diferença entre o vazio e a incompletude. As tentativas de preencher um vazio são diferentes daquelas que vão em busca de  um sentido, uma resposta ou uma solução.. As duas coisas incomodam, mas de formas diferentes. Uma, porque a ausência dói. A outra, porque a falta de explicação expõem nossa fragilidade, nossa humanidade – aquilo que afirma que não compreendemos tudo de si e nem do mundo.

De tanto olhar para a parede, concluí que o incômodo não vinha da total ausência de algo nela, mas de sua incompletude. Havia tinta branca, ranhuras, pequenas manchas, um rodapé, mas era só só. Por fim resolvi deixá-la assim. Ela me lembra que eu também possuo muitos espaços que talvez nunca estarão cheios ou resolvidos – mas que isso não significa que estejam vazios.

***
Pãezinhos irlandeses de cerveja e aveia
Esse pão não é bem um pão: não passa por fermentação, a casca é bem macia e a textura lembra de uma broa. Tem um sabor marcante e delicioso, perfeito para acompanhar sopas ou ser comido quentinho com uma boa manteiga.

paozinho_cerveja_aveia_1

Rendimento: 12 unidades
Adaptado do livro “Nigella Kitchen”

Ingredientes

– 400 gramas de farinha de trigo integral (a minha tinha acabado, então usei a farinha branca)
– 100 gramas de aveia em flocos + 2 colheres de chá para finalizar
– 1 colher de chá de sal
– 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
– 300 ml de cerveja escura ou outra de sua preferência (usei uma escura de trigo)
– 150 ml de buttermilk* ou iogurte
– ¼ de xícara de chá óleo
– ¼ de xícara de chá de mel

Como fazer

1. Preaqueça o forno a 220 graus e forre duas assadeiras médias ou uma grande com papel manteiga. Unte levemente o papel.

2. Numa tigela grande, misture a farinha, a aveia, o sal e o bicarbonato.

3. Meça o óleo na xícara e em seguida o mel – isso vai fazer com que o mel não grude – e coloque os dois em outra tigela. Adicione o óleo, o buttermilk (ou iogurte) e misture. Meça a cerveja (espere a espuma abaixar para medir), coloque na mistura e mexa até que fique homogêneo.

4. Adicione os ingredientes líquidos aos secos aos poucos, mexendo com uma colher grande. A textura final vai ficar pegajosa, então não se assuste. Para moldar, use duas colheres para fazer 12 montinhos com distância de 4 dedos entre eles. Depois que distribuir a massa toda, repare se tem algum montinho com menos ou mais massa e ajuste com a colher. Tente deixar todos com um formato mais ou menos redondo, usando as costas da colher. Salpique um pouco de aveia por cima.

5. Leve ao forno por cerca de 12 minutos ou até que estejam bem dourados. Deixe amornar e coloque os pãezinhos numa grade para esfriar. Guarde num saco de plástico fechado por até três dias.

*Para fazer o buttermilk, coloque 1 colher de chá de suco de limão ou vinagre em uma tigelinha e complete com os 150 ml de leite. Deixe repousar por uns 10 minutos até o leite talhar.

paozinho_cerveja_aveia_2

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. dea lucia disse:

    Preencher vazios com esse pão é uma delícia, mas como você disse há vazios que tem que permanecer vazios.

  2. Marina disse:

    hum,esse aqui já parece simples o suficiente (sem deixar de ser atrativo) para eu experimentar! 🙂

Comente!