Balé, o (quase) retorno + Biscotti de avelã e chocolate

Quando criança eu pedi para fazer aulas de natação. Depois de um mês e pouco comecei a achar tudo muito chato e não queria mais ir. Sem coragem de falar isso para minha mãe, eu fingia que ia para as aulas: punha o maiô, pegava a sacola e a toalha mas, chegando no clube, deixava tudo num canto e passava a próxima hora jogando ping-pong e comendo um enroladinho de salsicha.

Lembrei dessa história semana passada, quando estava parada na frente da escola de dança onde eu faria uma aula de balé depois de cinco anos sem colocar uma sapatilha no pé. Com o dedo levantado, decidindo se tocava ou não o interfone, pensei no desastre que aquilo poderia ser. Que não ia me lembrar como se faziam os passos e, mesmo se lembrasse, meu corpo não seria mais capaz de fazê-los. Ia ser humilhante, depois de tantos anos me dedicando à dança, concluir que não sabia mais fazer um tendu decente.

Do lado da escola havia uma lanchonete e mais uma vez eu quis largar tudo por um enrolado de salsicha. Apareceu um diabinho falando “ninguém nem precisa ficar sabendo que você não foi”. Só que a parte chata de ser adulta é que, diferente da aula de natação, dessa vez eu sabia que não adiantava fingir que estava enganando as pessoas, quando na verdade a enganada era eu.

O dedo praticamente moveu-se sozinho e toquei a campainha. Agora não tinha mais volta. Entrei na escola, me troquei no vestiário e, quando cheguei na sala, só tinha silêncio. Só havia eu de aluna. Imagina o pânico de fazer uma aula sozinha depois de tanto tempo parada? (pausa para você imaginar o pânico). Quando eu estava quase indo embora de fininho, apareceu uma segunda pessoa. Ufa.

O que transcorreu nos próximos 90 minutos é difícil descrever em palavras. A sensação de estar fazendo uma coisa pela primeira vez, que na verdade eu já tinha feito mil vezes. Ver o professor me corrigir nas posições mais básicas. A falta de capacidade de raciocinar o exercício e de decorar a sequência. Tudo isso eu engoli na boa – mas meu corpo não. A panturrilha gritava, a perna ficou muito mau-humorada e as costas se recusaram a cooperar.

Faltando uns dois minutos para terminar a batalha, ou melhor, a aula, minha visão começou a escurecer. Eu pensei “dá para fazer esse último exercício mesmo sem ver nada” e continuei firme. Eu TINHA que terminar a aula. Não terminar a aula para uma bailarina é um sinal de derrota. Só que (claro) não deu. Nos últimos 30 segundos, tive que pedir licença. Sentei no chão da sala, desmaei por uns 5 segundos, voltei à consciência e fui para o banheiro.

Depois de passar o mal do século, saí do vestiário meio envergonhada. Despedi do professor, que estava com aquele jeito de “não sei se fico preocupado de verdade ou se é só frescura sua”. Saí na rua mal conseguindo andar. Então decidi só dar três passos à direita e sentar na tal lanchonete ao lado. “Me vê um enrolado de salsinha, por favor”, pedi. E pensei: “agora eu mereço”.

***

Biscotti de avelã e chocolate
Aqui no blog já fiz uma receita de biscotti salgado que fez muito sucesso. Apesar de ser um biscoito assado duas vezes, como todos os biscottis, aquele não era o tipo que você encontraria na Itália. Lá, esse biscoito é sempre doce e não leva manteiga, resultando numa textura mais firme e crocante, ideal para ser mergulhada num expresso.

Biscotti_avela_chocolate_1

Rendimento: cerca de 60 biscoitos

Ingredientes

– 1 xícara de avelãs
–  2 ½ xícara de farinha
– ½ xícara de cacau em pó
– pitada de sal
– ½ colher de chá de bicarbonato de sódio
– ¾ de colher de chá de fermento
– 4 ovos grandes
– 1 ½  xícaras de açúcar

Como fazer

1. Para retirar a pele das avelãs, ferva duas xícaras de água e três colheres de sopa de bicarbonato em pó. Coloque as avelãs e deixe por cerca de 4 minutos (a água vai ficar escura e formar espuma, é assim mesmo). Enquanto fervem, prepare uma tigela com água bem gelada. Para testar, retire uma das avelãs, coloque na água e esfregue com os dedos. Se a casquinha sair, já estão prontas. Escorra-as e jogue diretamente na bacia com água, esfregando para tirar a pele.

2. Pré-aqueça o forno a 180 graus. Forre uma assadeira grande com papel manteiga.

3.. Peneire a farinha, o cacau, o sal, o bicarbonato e o fermento.

4. Numa tigela média, bata os ovos levemente com um garfo ou batedor de arames. Tire duas colheres de sopa dos ovos batidos e guarde para pincelar a massa no final. Junte o açúcar aos ovos na tigela e bata mais. Adicione os ingredientes secos e misture com uma colher de pau ou com as mãos até ficar uma massa macia.

5. Divida a massa em duas porções. Enfarinhe bem (bem mesmo!) sua superfície de trabalho e abra uma das metades da massa num quadrado de 15cm. Espalhe metade das avelãs sobre a massa e pressione elas um pouco para afundarem na superfícies da massa.

6. Enrole o quadrado até formar um cilindro e achate o topo levemente. Forre uma assadeira com papel manteiga e transfira o rolo para ela. Faça o mesmo com a segunda metade da massa. Pincele o topo dos cilindros com os ovos batidos que guardou no início da receita.

Biscotti_preparo

7. Leve ao forno por cerca de 20 minutos, até que você possa tocar a superfície e sentir que está firme.

8. Deixe o forno ligado, retire os cilindros e transira os para uma superfície lisa ou tábua. Deixe esfriar por uns 5 minutos e, usando uma faca de serrinha, corte fatias de cerca de 2cm.

9. Leve os biscottis ao forno novamente e asse por mais 20 minutos, até que estejam secos e crocantes.

10. Deixe esfriar completamente antes de guardar ou servir.

Biscotti_avela_chocolate_2

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Olá, Me chamo Ana
    Tenho uma história com a dança muito parecida com a sua. No meu caso não voltei para o balé clássico, que eu fazia quando criança, mas para dança flamenca. Fiquei três meses. Minha catarse me rendeu até uma tatuagem de sapatilha de ponta. Mas valeu!

    Obrigada pela receita!

    • marina maria disse:

      Ai Ana é uma delícia poder estar perto do que a gente gosta, né? Espero não ter mais hiatos com a dança…rs. Quando fizer o biscoito volte para contar! Um beijo!

  2. Flávia Dorado disse:

    Nina, em plena sexta-feira, o enroladinho de salsicha me chama, enquanto a campainha é a minha dieta!
    Amei a receita…

  3. lili disse:

    Que legal você bão ter arregado! APLAUSOS!!!

  4. dea lucia disse:

    Gostei. Depois de ficar um mês só na pimenta um docinho vai bem. Da próxima vez me chame que vou comer enroladinhos com você e biscotti também. bjim

  5. Ana Paula Doné disse:

    Adorei a receita. Vou aproveitar que tenho avelãs sobrando para fazer. Mas, você tem alguma dica de como tirar a pele delas? bj, Ana Paula

Comente!