Essa tal de humildade + Bife à rolê

Vamos todos para a cozinha, gente. Vamos ver os programas culinários na TV a cabo, visitar restaurantes novos, provar alho negro, aprender a fazer macaron. Esse interesse todo pela comida, que vem aumentando nos últimos anos, pode ser uma coisa muito boa. Pode reforçar a imagem da cozinha como uma ambiente democrático que, em vez de assustar, deve acolher.

Só que para isso é preciso também desligar um pouco das Nigellas e Jamie Olivers da vida e ouvir sua tia explicando como se faz cocada. É preciso continuar indo nos bons e antigos restaurantes, que há tempo saíram de moda (ou nem entraram), mas ainda servem um ótimo filé à parmegiana. É preciso parar de achar que tudo que tem trufa é bom.

O que estou tentando dizer e que há muito interesse e isso é muito bom, mas falta… humildade. Humildade para saber que o mundo da cozinha é vasto e há muito para se aprender. Que não há problema em gostar mais do PF do boteco da esquina do que do menu executivo do restaurante novo.

Que ainda que seja relevante conhecer os ingredientes e o modo de preparo de determinado prato, essas informações nunca serão mais importantes do que o resultado final, do que o sabor. Ouço pessoas dizerem que não conseguem apreciar comida requintada porque não tem “paladar apurado”. Essa noção de que o jeito de avaliar um prato não se baseia mais em “é gostoso” e sim em “consigo perceber um leve gosto de cardamomo” ou qualquer outra coisa do gênero se espalhou. Parece que se alguém “só” achou delicioso é motivo de constrangimento. E o hype da gastronomia, que deveria aproximar as pessoas da comida, acaba afastando-as.

Acredito que nesse mundo onde existe até coxinha gourmet, o que vai manter nossa relação com a comida saudável é a humildade. Então vamos sim, vamos todos para a cozinha, mas com os pés no chão e sem nariz em pé, por favor.

***
Bife à rolê
Essa receita do tipo “minha avó fazia” tem um monte de variações – cada um tem seu jeito de fazer. Na minha maneira, o bife é enrolado com bacon e cenoura, selado e depois cozido em molho de tomate. 

Bife_a_role_1

Ingredientes

– 3 bifes de coxão duro (os meus tinham 120 gramas cada)
– 3 fatias de bacon
– 1 cenoura pequena
– 1 colher de sopa de azeite
– 1 colher de sopa de manteiga
– Sal e pimenta-do-reino à gosto
– 1 cebola pequena picada
– 2 dentes de alho picados
– 1 xícara de molho de tomates (usei esse aqui)
– ½  xícara de água
– 1 xícara de caldo de carne caseiro (se não tiver o caseiro, dissolva ½ tabletinho do caldo industrializado em uma xícara de água)
– ¼ de colher de chá de canela
– ¼ de colher de pimenta caiena
– 2 folhas de louro
– Salsinha à gosto

Como fazer

1. Tempere os bifes com sal e pimenta-do-reino à gosto.

2. Corte a cenoura em palitos do mesmo tamanho dos bifes. Numa das pontas da carne, coloque um ou dois palitos de cenoura e uma fatia de bacon dobrada ao meio (para ficar mais grossinha). Vá enrolando com cuidado e use palitos para prender a carne no lugar (eu usei quatro). Se quiser rolinhos menores, como eu, corte ao meio.

3. Na panela de pressão aberta, em fogo algo, aqueça o azeite e a manteiga e refogue a cebola e o alho até começar a dourar. Junte os bifes enrolados com cuidado para o palito não soltar. Usando uma pinça de carne longa, vá virando os rolinhos delicadamente para dourar todos os lados. Depois de dourados, junte o molho de tomates, o caldo, a água e os temperos.

4. Tampe a panela e, quando começar a dar pressão, abaixe o fogo. Conte de 20 a 30 minutos e faça um primeiro teste: veja se a carne já está macia e se o molho reduziu. Se não, volte por mais alguns minutos.

5. Se a carne já estiver pronta e o molho ainda muito líquido, retire e reserve os rolinhos e deixe o molho apurando na panela aberta até reduzir. Se acontecer o contrário, do molho estar muito grosso e a carne pouco macia, adicione um pouco mais de água. Acerte o tempero final do molho e sirva-o por cima dos bifes.

Bife_a_role_2

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. lili disse:

    Concordo com você. Não aguento mais nutela, tomate seco e até catupiry. Quero mais é um bom filé com fritas ! E não quero mais “degustar”.Pronto, falei…

Comente!