(…) O post número 100 e um sorteio

Quando fiz 13 anos minha tia Vilma me deu de presente o livro “O Pequeno Príncipe”. Naquela época eu já era metida a adulta e cismava de ler Mário de Andrade e Henry Miller. Ainda sim, dei uma chance para o livro e alguns trechos acabaram presos na memória.

No momento em que pensei sobre esse centésimo post, me lembrei de uma passagem que diz assim: “As pessoas grandes adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, elas jamais se informam do essencial. Não perguntam nunca: ‘Qual é o som da sua voz? Quais os brinquedos que prefere? Será que ele coleciona borboletas?’. Mas perguntam : ‘Qual a sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?’. Somente então é que elas julgam conhecê-lo”.

Recordei-me desse trecho porque estava tentando decidir se valia a pena ou não comemorar um post número 100. O que isso significa? É mesmo apenas um número? Será que isso é só um valor de “pessoas grandes”, que tentam racionalizar e calcular tudo?

Exupéry, o autor do livro, defendia o lirismo de se conhecer as pessoas pela sua cor favorita e não por quantos anos ela tem. Mas os números também podem carregar certa poesia, podem nos comover, nos tornar mais humanos. Eles são um jeito de nos localizar no tempo e no espaço, de organizar nossos valores, de explicar o universo, de nos fazer sentir menos perdidos no caos. Cinco anos, vinte horas, trinta centímetros, essas grandezas podem ser tão importantes quanto saber a banda favorita de alguém, pois elas nos servem de bússola, nos dão a noção da nossa própria existência e mortalidade.

Os números nos deixaram loucos porque viramos escravos deles. Há hora de chegar, de sair, a quantidade certa de calorias para comer, a idade certa para virar chefe. Existe sim um lado racional e controlador na contagem. Mas há também uma beleza em um ter um casamento de 30 anos ou ver uma uma árvore de 50 metros.

O meu centésimo post significa que por 100 vezes eu sentei em frente ao meu computador e dividi um pedaço de mim. E vocês aí do outro lado leram sobre ele, comentaram, opinaram. É por isso que esse é um número muito legal sim…

Tão legal que resolvi presentear um leitor do blog com dois ótimos livros do Mark Bittman, “Tudo e mais um pouco”, volumes 1 e 2. Bittman é um jornalista e colunista do NYT que resolveu compilar nesses dois livros tudo que um cozinheiro iniciante precisa saber, desde à escolha dos ingredientes até variações de uma mesma receita.

Para participar, basta preencher o formulário abaixo, sendo que os participantes que já curtem ou que curtirem  a  página do Sal de Bolinha no Facebook concorrem duas vezes. No dia 23/11 vou sortear um leitor sortudo que vai levar para casa os dois volumes. Boa sorte!

Você pode gostar...

7 Resultados

  1. Tatá disse:

    Ah, definitivamente há muita poesia por trás dos números. Adorei o texto, as usual. Parabens pelos 100 posts…nesse exato momento já são 101.

  2. Taís disse:

    Que post bacana! Ando um pouco desligada do mundo virtual por conta de outros afazeres, então quando ligo o computador, escolho apenas um ou dois blogs pra dar uma lidinha, fiquei feliz de ter escolhido o teu hoje 🙂 Parabéns! Bjos

  3. Eloisa disse:

    Parabéns, querida! Acho que a conta não deve ser essa exatamente, porque imagino que para escrever 100 posts você tenha se sentado muito mais vezes! Cada post é uma alegria. E não esqueço a emoção de ter sido ‘vencedora’ do concurso dos azeites! Um beijo carinhoso, Eloisa.

  1. 22 de novembro de 2012

    […] ← (…) O post número 100 e um sorteio 22/11/2012 · 11:38 ↓ Jump to Comments […]

Comente!