A infância e um concurso + Biscoitos de castanha-do-pará

Fiquei sabendo de um concurso organizado pela Limetree no Facebook que quer escolher “O Melhor Post do Mundo”. Não vou entrar nos pormenores do que seria um melhor post e de como a forma de vencer tem mais a ver com popularidade do que com qualquer outra coisa, mas enfim. Fiquei pensando se deveria inscrever um dos posts aqui do blog e qual seria. Eu tenho vários textos favoritos, alguns porque falam de coisas que estão guardadas bem no fundo, outros porque gosto do tema, acho inusitado. No entanto, acho complicado chamar um desses de “o melhor post do mundo”.

Daí hoje, quando estava fazendo esses biscoitos, me lembrei de um texto que escrevi sobre a infância. Ele surgiu depois de ver um filme chamado “Babies”, que mostra o nascimento de várias crianças ao redor do mundo e como elas são diferentes e parecidas ao mesmo tempo. Ele não é “o melhor post do mundo”, mas acho que fala de uma coisa tão legal, desse sentimento universal que temos em relação à infância. Tem sempre um trauma, um pequeno ou grande trauma. Tem uma saudade… E tem sempre, sempre uma comida de vó, mãe, tio, avô que marcou de um jeito bom ou ruim. Mas marcou. É nesse período que a comida começa a ganhar um novo sentido, não só de alimentar o estômago, mas também o coração.

Conclusão: resolvi participar do concurso. Se você quiser votar no meu texto, é só clicar aqui. É preciso curtir a página para participar da votação.

***

Biscoitos de castanha-do-pará
A infância da minha amiga Letícia com certeza foi marcada por milhares de gostosuras: sua avó, dona Irá, além de ser uma das senhoras mais elegantes que já conheci, é uma super cozinheira. Essa receita veio dos arquivos dela, que eu tive a honra de conhecer. É um biscoitinhos delicioso, com gosto de fazenda.


Ingredientes

– 100 gramas de castanha-do-pará (cerca de 3/4 de xícara de chá)
– 100 gramas de manteiga (1/2 tablete)
– 100 gramas de farinha de trigo (1 xícara de chá menos 2 colheres de sopa)
– 100 gramas de maizena (1 xícara de chá)
– 50 gramas de açúcar (1/4 de xícara de chá)

Como fazer

1.Pré aqueça o forno a 180 graus e forre uma assadeira grande com papel manteiga.

2. Se tiver processador: com a peça de lâmina, triture a castanha até que fique o mais fina possível. Reserve. Ainda no processador, com a peça de misturar, coloque a manteiga e o açúcar. Bata até ficar fofo. Adicione a castanha moída e a maizena. Coloque a farinha por último e aos poucos, até que forme uma massa maleável e um pouco úmida. Pode ser que você não precise de usar toda a farinha. Se não tiver processador, moa a castanha no liquidificador e prossiga com o resto das etapas misturando com a mão ou com uma colher de pau grande.

3. Coloque a massa sobre uma superfície limpa e trabalhe um pouco com ela usando as mãos, para dar liga. Faça pequenos cilindros, como se fosse fazer nhoque, e corte em pedaços dos mesmo tamanho.

4. Leve ao forno por cerca de 20 minutos ou até que o biscoito endureça, mas ainda esteja branquinho. Não deixe que ele doure, ou ficará com gosto de queimado.

5. Se quiser, polvilhe açúcar depois de pronto. Guarde num pote fechado por uma semana.

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Ju Faria disse:

    Esse biscoito é bom demais!!! Eu comi direto da fonte, mas vou tentar fazer logo. Se for fácil assim, vai dar problema. Vai ficar frequente…

  2. Mario C. disse:

    Fiquei sabendo que esse aí faz sucesso na família.

  1. 3 de dezembro de 2013

    […] Casadinho – Biscoito de castanha-do-pará – Cookie triplo de chocolate – Cookies crocantes de aveia – Pain […]

  2. 8 de maio de 2014

    […] – Biscoitinho de Castanha Esse biscoito com cheiro de fazenda, receita da dona Irá, avó da minha amiga Letícia, é um dos que mais gosto. Dá para usar diferentes castanhas e fica sempre delicioso. Impossível comer um só. Ou cinco. […]

Comente!