Pequenas alegrias + Pãozinho de cebola

Sabe quando você pega aquela calça velha, enfia a mão no bolso e encontra 20 reais? Ou quando chega em casa morto de cansado e lembra que tem mousse de chocolate na geladeira?

Hoje tive uma pequena grande alegria assim, quando esbarrei com esse poema. Achei tão, mas tão lindo, e tão singelo, que não estava cabendo em mim. Eu precisava dividir com alguém…

O menino que carregava água na peneira

Tenho um livro sobre águas e meninos.
Gostei mais de um menino
que carregava água na peneira.

A mãe disse que carregar água na peneira
era o mesmo que roubar um vento e sair
correndo com ele para mostrar aos irmãos.

A mãe disse que era o mesmo que
catar espinhos na água
O mesmo que criar peixes no bolso.

O menino era ligado em despropósitos.
Quis montar os alicerces de uma casa sobre orvalhos.

A mãe reparou que o menino
gostava mais do vazio
do que do cheio.
Falava que os vazios são maiores
e até infinitos.

Com o tempo aquele menino
que era cismado e esquisito
porque gostava de carregar água na peneira

Com o tempo descobriu que escrever seria
o mesmo que carregar água na peneira.

No escrever o menino viu
que era capaz de ser
noviça, monge ou mendigo
ao mesmo tempo.

O menino aprendeu a usar as palavras.
Viu que podia fazer peraltagens com as palavras.
E começou a fazer peraltagens.

Foi capaz de interromper o vôo de um pássaro
botando ponto final na frase.

Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela.

O menino fazia prodígios.
Até fez uma pedra dar flor!
A mãe reparava o menino com ternura.

A mãe falou:
Meu filho você vai ser poeta.
Você vai carregar água na peneira a vida toda.
Você vai encher os
vazios com as suas
peraltagens
e algumas pessoas
vão te amar por seus
despropósitos

*Manoel de Barros, no livro Exercícios de ser criança

***

Pãezinhos de cebola
Cada dia que passa percebo o quanto vale a pena fazer pão em casa. Essa receita rende muito, o que significa que você pode presentear amigos e familiares ou então congelar o pão depois de pronto: embrulhe cada um em papel filme e depois coloque num desses saquinhos tipo “ziplock”. Na hora de comer, é só esperar descongelar, pincelar um pouquinho de água e aquecer no forno.

Levemente adaptado daqui

Rendimento: de 35 a 40 pãezinhos

Ingredientes
– 2 ovos + 1 gema para pincelar
– ¾ de xícara de óleo de canola, girassol ou milho
– 1 colher de chá de sal
– 1 colher de sopa de açúcar
– 1 e ½ xícara de água morna
– 2 cebolas médias (ou uma bem grande) picadas grosseiramente
– 10 gramas de fermento biológico seco instantâneo
– Cerca de 1 kg de farinha de trigo

Como fazer
1. Bata no liquidificador todos os ingredientes, menos a farinha. Na hora de colocar a água morna, tome cuidado para que esteja morna mesmo: se estiver quente demais, matará o fermento.

2. Derrame essa mistura numa vasilha grande e vá adicionando a farinha aos poucos, misturando com uma colher de pau. Quando sentir que a massa tomou forma a ponto de poder ser sovada, coloque-a numa superfície limpa, seca e lisa, polvilhe um pouco de farinha e trabalhe com ela por cerca de 10 minutos, adicionando mais farinha quando necessário. A massa não deve ficar nem grudenda, nem seca, e sim úmida, colando um pouco na mão.

3. Faça uma bola com a massa e unte com um pouco de óleo. Volte com ela para a vasilha e cubra bem com um filme plástico ou com um pano seco, deixando descansar por cerca de uma hora, até que dobre o volume. Esse tempo pode ser maior ou menor, dependendo do clima no dia. Quando está muito frio, eu costumo ligar o forno na temperatura baixa, deixar esquentar por alguns minutos, desligar e colocar a tigela lá dentro.

4. Depois dessa primeira fermentação, soque a massa para tirar o ar e molde bolinhas, dispondo-as numa superfície lisa. Coloque um pano de prato úmido por cima e deixe de 10 a 20 minutos.

5. Unte e enfarinhe levemente uma assadeira grande ou duas médias. Amasse levemente e modele de novo as bolinhas de massa, dispondo-as na forma com um pequeno espaço entre elas (cerca de 0,5 cm). Cubra novamente com filme plástico (deixe ele um pouco frouxo) e descanse por mais 30 minutos, até que as bolinhas crescam um pouco.

6. Pincele os pães com uma gema misturada com um pouquinho de água e leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por cerca de 40 minutos, até estarem dourados. Espere a forma esfriar, vire os pães numa superfície limpa e destaque-os. Guarde por três dias em sacos plásticos ou na geladeira por uma semana.

 

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Lidiane disse:

    Já fiz 3 vezes esse pãozinho; até com bacon já fiz. E o sucesso é garantido. O maridão adora! Valeu Sal de Bolinha!

  2. Eloisa disse:

    Oi Marina, fui a primeira a votar no seu post! Tomara que dê sorte!
    Beijo, Eloisa

  3. Juro que cheguei a sentir o cheirinho e o gostinho deles!! 🙂 Hum…

  1. 31 de dezembro de 2012

    […] descoberta do ano: Pães caseiros! Fiz muitos e muitos pães, como o do Game of Thrones, o de cebola e o da Pousada do Caju. Tenho certeza que em  2013 essa “tendência” vai se […]

Deixe uma resposta para Lidiane Cancelar resposta