Ternura por galinhas + Frango assado com vinagre balsâmico

Esse blog começou comigo contando uma história sobre a primeira galinha que conheci na vida e de como tivemos um pequeno “desentendimento” quando resolvi pegar um de seus pintinhos na mão. Ainda que essa tenha me dado um grande susto, continuei sempre adorando galinhas, principalmente as galinhas-d’angola – mas essas eu gosto bem à distância, já que são as mais nervosinhas de todas. Ainda que tenham personalidade forte, galinhas são animais muito simpáticos, né?

Fiquei pensando sobre isso ontem, quando fui mexer na minha estante e achei um livro chamado “As Frangas”, do Caio Fernando de Abreu. Também tenho o “A Vida Íntima de Laura” (que é uma galinha), da Clarice Lispector. Não é um pouco estranho uma pessoa ter dois livros cujos personagens principais são galinhas? Talvez  elas sejam um símbolo importante da parte da minha infância que passei em sítios. Então quem sabe pensar e ler sobre elas seja um jeito de relembrar, de materializar a saudade. Ou então é só porque é um animal legal, mesmo.

“Quando eu era do tamanho de você, ficava horas e horas olhando para as galinhas. Não sei por quê. Conheço tanto as galinhas que podia nunca mais parar de contar. Vou contar uma coisa meio enjoada de se contar. É o seguinte: sabe que a galinha tem um cheiro um pouco chato? Parece cheiro de cesto de roupa suja ou de quando a gente não toma banho todos os dias. Não é cheiro limpo não. Então embaixo das asas é aquela morrinha. Mas não faz mal. Todas as coisas têm mesmo um cheiro, não é?”
(…)
“É engraçado gostar de galinha viva mas ao mesmo tempo também gostar de comer galinha ao molho pardo. É que pessoas são uma gente meio esquisitona.”

Clarissa Lispector – A Vida Íntima de Laura

***

Frango assado com azeite balsâmico e mostarda
Muita gente por aí tem preconceito com frango porque diz que é uma carne seca e sem gosto. Mas é que o frango precisa de um carinho extra para pegar tempero, e é isso que a marinada dessa receita faz. Além disso, usar pedaços com osso também ajudam a manter a umidade e sabor do frango. Se puder, opte por um orgânico.

Adaptado daqui

Ingredientes

– 2 colheres de sopa de vinagre balsâmico
– 1 colher de sopa de mostarda Dijon
– 1 colher de sopa de suco de limão
– 1 dente de alho picadinho
– 1 colher de sopa de azeite
– Sal e pimenta do reino moída na hora
– 1 quilo de frango em pedaços (eu usei peito de frango com osso e sobrecoxa)
– 2 colheres de sopa de vinho branco (ou outra bebida de sua preferência)

Como fazer

1.Num saquinho do tipo ziplock, coloque os pedaços de frango e os cinco primeiros ingredientes. Tempere com sal e pimenta, feche o saco e sacuda bem para que todos os pedaços estejam envolvidos no tempero. Deixe por mínimo 3 horas na geladeira, de preferência de um dia para o outro. Dê uma mexida no saco eventualmente durante esse tempo.

2. Pré-aqueça o forno a 200 graus. Coloque os pedaços de frango e a marinada numa travessa, cubra com papel alumínio e cozinhe por cerca de 15 minutos. Depois retire o papel e deixe-os até que dourem (cerca de 20 minutos).

3. Retire os pedaços de frango e reserve-os no prato que irá servir. Leve a assadeira para o fogão, ligue o fogo médio e entorne o vinho (ou a bebida que estiver usando). Mexa com uma colher para desprender o tempero que ficou grudado no fundo. Deixe o caldo engrossar um pouquinho e entorne sobre o frango. Sirva.

Você pode gostar...

Comente!