De novo + Tomatinhos assados (confit)

É engraçada a expressão “de novo”. Estritamente falando, se você está fazendo uma coisa de novo, significa que algo está sendo repetido, ou seja, não há nada de novo. Mas não é bem esse o sentido da expressão que, em latim, que dizer “do princípio” ou “começar mais uma vez”. O recomeço também é uma estreia, já que nenhuma ação pode ser exatamente igual à outra.

Comecei a pensar nisso quando me disseram que eu nunca faço mais de uma vez as receitas que posto blog. E isso é parcialmente verdade; realmente eu não repito constantemente as receitas daqui, mas refaço algumas, sim. De qualquer forma, admito que não sou dada à repetir coisas. Estou sempre caçando uma novidade. São tantos blogs, livros e revistas que minha lista de “receitas para fazer” só cresce. E a de “receitas para repetir” não evolui no mesmo ritmo. O problema é que sem repetição não há excelência, ainda mais na cozinha.

Minha avó sabia disso. Sabia cozinhar uns seis, sete pratos, mas eram todos absolutamente deliciosos, depois de anos sendo refeitos e melhorados. Isso eu só entendo hoje, porque quando criança achava bem chato. Toda ocasião era o mesmo frango, a mesma sobremesa. Quando íamos para sua casa no domingo, eu e meu irmão brincávamos de adivinhar o que seria o almoço. Um jogo meio irônico, já que o objetivo não era acertar, mas rir junto do fato de que ela não cozinhava coisas novas. Mais tarde fui descobrir que ela fazia, sim, novos pratos de vez em quando. Só que nos eventos especiais ela escolhia repetir aqueles com os quais se sentia segura, que tinha certeza que eram bons.

O fato é que tenho um certo medo da repetição, de cair na rotina, de deixar de arriscar. Mas lembrando dos almoços da minha avó, vejo que existe algo de bonito na refação, na regularidade. O “fazer de novo” para ela não era algo tedioso, mas um ato de aprimoramento. Pensando nisso, tenho cada vez mais repetido algumas receitas na minha cozinha, como essa que estou postando hoje. E ao longo desse caminho, percebo que o novo mais difícil de achar é aquele escondido na repetição.

***

Tomatinhos assados (confit)

Confit é o nome de uma técnica em que os alimentos são cozinhados na gordura. Aqui, esses tomatinhos são assados no azeite e são muito versátéis: podem ser usados em risotos, como aperitivos ou virarem um ótimo molho de massas e peixes. Os tomates crus e temperados também são um bom molho de macarrão para dias de calor ou de correria.  Ao escorrer a massa cozida, deixe-a ainda úmida e quente, jogando-a em seguida nos tomates frescos . Misture bem e adicione mais azeite se preciso.

Ingredientes
– 500 gramas de tomates tipo uva (grape)
– 4 colheres de sopa de azeite de oliva
– 2 colheres de sopa de azeite balsâmico
– 1/4 de colher de chá de sal
– 1/2 colher de chá de pimenta do reino moída na hora
– 2 galhos tomilho ou alecrim
– 2 dentes de alho grande com casca

Como fazer
1. Pré-aqueça o forno a 180 graus. Numa assadeira grande, coloque os tomatinhos e parta-os ao meio. Adicione os azeites, o sal e a a pimenta e misture bem com as mão. Aperte os dentes de alho com as mãos em uma mesa, apenas para amassá-los um pouco (mantenha a casca). Junte o tomilho (ou alecrim) e misture mais uma vez. Coloque todas as metades dos tomates com a polpa voltada para baixo.

2.  Leve ao forno por cerca de 40 minutos, ou até que os tomates murchem e fiquem queimadinhos nas bordas.

3. Se for serví-los como aperitivo, espere esfriar, tranfira para o recipente que for servir e jogue um pouco de azeite de azeite por cima. Se for fazer um molho para massas ou carnes, coloque a assadeira em cima de uma trempe do fogão e ligue no fogo baixo. Adicione um pouco de manteiga e alguma bebida alcóolica, como vodca ou vinho branco, e vá misturando com uma colher, desprendendo o tempero que fica grudado no fundo da assadeira. Quando o molho incorpar, desligue.

Se for usar o molho para uma massa, jogue o macarrão ainda quente e úmido na assadeira e misture para que ele absorva bem o molho.


Você pode gostar...

11 Resultados

  1. Marcele disse:

    O sucesso da virada do ano se repete em 2015 aqui em casa!!! A primeira leva foi feita com tomates cereja porque não encontramos os GRAPES para comprar. Ficaram saborosos, mas eu desconfiava de que ficariam sensacionais mesmo com os tomates uva. E não deu outra: perfumou a casa inteira e alegrou meu domingo de cozinheira. Adorei esta receita também! 😉

    • marinamaria disse:

      Estou toda feliz acompanhando você testar as receitas, Marcele! Acho que esses tomatinhos são de longe a coisa que mais repeti na cozinha. Vira molho de macarrão, vai pra salada, faço de petisco, uso no risoto… Ah, e tá na época de tomate-uva, então vamos aproveitar, né? Um beijo!

  2. Mônica Fundão disse:

    Eu conheço e faço essa receita, navegando parei aqui e procurei algo para inovar na tal repetição para o aprimoramento e amei sua dica de resgatar o molho da assadeira e lambuzar a massa ali mesmo. Penso um dia fazer um blog de receitas também, mesmo que ninguém leia, só para devanear nas madrugadas. Adorei, Marina! Parabéns pelos causos e receitinhas. Ah! Também sou jornalista! Feliz Natal!

  3. Adorei a simplicidade da receita! Tomate assado é bom demais! 🙂

  4. Tatá disse:

    Sabe uma expressão que acho estranha e, por isso, adoro falar: “já não era sem tempo”!!
    Não encontro o sentido…
    Quero comer essa comida! E todas as outras!

  1. 26 de setembro de 2012

    […] fonte […]

  2. 31 de dezembro de 2012

    […] receita mais repetida: Sem dúvida nenhuma, a de tomates confit. Até no Natal […]

  3. 19 de setembro de 2013

    […] sugestões de molho são esse, também feito com tomatinhos, porém assados; e esse aqui, que leva só três […]

  4. 8 de maio de 2014

    […] – Confit de Tomatinhos Não sei como ainda não enjoeei dessa receita. Na época de tomate uva, faço mais de uma vez por semana. É bom como aperitivo, molho de massa, recheio de sanduíche… […]