Arroz de festa e eu de penetra

Na minha adolescência ser penetra era quase uma profissão. Eu conhecia uns meninos que sabiam até falsificar convite de festa de 15 anos. Aliás, a minha festa de 15 anos teve um penetra memorávell. A festa era à fantasia e o ele foi vestido de múmia, completamente coberto de ataduras. Só bem depois fui descobrir que ninguém fazia a menor ideia de quem era o sujeito.

Carma ou não, a primeira vez que entrei de penetra numa festa era também uma à fantasia. Eu não conhecia a aniversariante, que era amiga de uma amiga. Eu queria ir de Mulher Maravilha, mas não consegui arranjar a roupa a tempo e decidi ir de gueixa, usando um robe de seda da minha mãe – aquele tipo de coisa que só parece uma boa ideia quando você tem 13 anos.

Fui com a tal amiga que arranjou os convites e com mais outra. O mais irônico era que nós três estávamos de olho no mesmo garoto. Mas no fundo a gente já sabia quem ia ficar com ele, já que uma das amigas era a mais “determinada” – para usar um termo educado –  da turma. Ainda assim ficava um clima estranho; nós três lá, trocando olhares com o mesmo menino.

Querendo fugir um pouco dessa situação, lembro que num momento da festa eu me afastei delas e fui assistir à valsa da aniversariante. Ela estava fantasiada de sereia, com uma cauda apertando suas pernas, e por isso dançava feito um pinguim. Enquanto eu estava lá, o tal menino parou do meu lado, também achando graça da cena. De repente, uma caixa de som enorme despencou do segundo andar do salão, caindo em direção à cabeça do meu (quer dizer, nosso) paquera. Numa atitudebem ninja, eu puxei ele pra trás no mesmo instante e a caixa caiu exatamente entre ele e a pessoa da frente, machucando apenas seu dedão.

E vejam como são as pessoas: mesmo depois que EU salvei a vida dele, no final das contas ele beijou aquela mesma amiga que a gente já sabia que ia beijar. Com isso eu até me conformei. Só fiquei bastante frustrada de não ter conseguido ir com a fantasia de Mulher Maravilha, pois isso teria tornado a cena do salvamento completamente sensacional.

***
Arroz de festa (arroz com cebolas douradas e amêndoas)
A grande dica desse arroz são as cebolas douradas, que podem ser usadas em vários outros pratos. Ficam boas em risotos, sanduíches, pizzas e até puras, como petiscos.

Receita adaptada daqui.

Rendimento: 4 porções

Ingredientes

– 2 xícaras de arroz cozido
– 400 gramas de cebola (cerca de 4 cebolas médias) – brancas ou roxas, eu usei uma mistura das duas
– 4 colheres de sopa de azeite
– 2 colheres de sopa de vinho branco (ou água, ou outra bebida de sua preferência)
– 2 colheres de sopa de amêndoas fatiadas

Como fazer

1. Com uma faca bem afiada, fatie as cebolas em rodelas de mesma espessura. Isso é essencial para que elas cozinhem por igual. Depois parta as rodelas no meio, formando finas meias-luas.

2. Numa frigideira anti-aderente, misture as cebolas e o azeite. Leve ao fogo baixo, na menor trempe do seu fogão, e misture sempre por cerca de 40 minutos. A cebola irá murchar e irá se caramelizar no seu próprio açúcar. No final a quantidade de cebola terá reduzido bastante. Veja as fotos das etapas.

As cebolas com 15, 30 e 40 minutos de cozimento

3. Quando as cebolas estiverem prontas, junte o arroz cozido e o vinho (ou água, ou a outra bebida que estiver usando) e mexa bem, até que o arroz tome cor.

4. Para as amêndoas, esquente uma frigideira pequena e seca no fogo. Quando estiver bem quente, jogue as amêndoas e mexa bem, até que fiquem douradas. Use-as para decorar o arroz e sirva.

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Ha Ha Ha! cena de filme, Marina! desculpa nem comentar a receita [que delicia], mas essa história tá incrivel. ate me fez lembrar uma festa a fantasia que eu dei na minha casa, que recebeu varios bicões que nem se deram ao trabalho de se fantasiar e ainda beberam toda a cerveja. such is life! beijo :-*

  2. Nara disse:

    Ótima história, Marina!!! =)

Comente!