No princípio havia um bolo

As lembranças dos tais 12 anos me levaram a um lugar específico: meu forno. Que nunca havia trabalhado tanto como naquele ano. Sei lá o que me deu, talvez porque eu tinha pouco dinheiro e muita revista Atrevida para comprar, resolvi vender bolo na escola. Bolo de chocolate com cobertura de brigadeiro.

Eu usava bolo de caixinha, confesso. Mas pelo menos testei várias marcas antes de escolher a  melhor. E vamos combinar, o que importava mesmo era a cobertura e essa eu fazia todos os dias na beira do fogão. Depois de pronto, partia o tabuleiro enorme do bolo em pedaços, embrulhava no papel alumínio, botava num pote de plástico e ia levando para a escola.

O negócio prosperou: logo quando tocava o sinal do recreio, as pessoas corriam para a minha mesa, me davam o dinheiro e escolhiam seus pedaços, apertando de leve o embrulho para  tentar “adivinhar” qual tinha mais cobertura. Quem chegava por último ficava com os pedaços do cantinho do bolo, para os quais eu dava um desconto – olha só que espírito empreendedor.

Tudo correu bem até que minha oferta começou a não dar conta da demanda. E já que mercado é dos espertos, alguns dos meus “clientes” de outras turmas começaram a sair da aula com a desculpa de ir ao banheiro, mas na verdade iam até a minha sala. Como eu sentava do lado da janela, eles me cutucavam e estendiam a mão com a moedinha de 50 centavos. Queriam comprar o bolo por ali mesmo, antes da hora da merenda, para já garantir um bom pedaço. Isso irritou a supervisora da escola – que me deu um sermão e proibiu a venda fora do recreio. E mais adiante decidiu acabar de vez com tudo, dizendo que meu produto fazia uma concorrência desleal com a cantina, já que o salgado era 10 centavos mais caro do que o meu bolo.

Esse foi o fim do meu primeiro negócio, mas talvez o início de uma longa paixão por coisas feitas no forno, especialmente bolos. E, pelo menos naqueles meses, eu tive dinheiro para me esbaldar na banca e treinei bastante como fazer uma ótima cobertura de brigadeiro.

Bolo Nega Maluca “adulto”
Não faria sentido eu reproduzir aqui o bolo que eu vendia, já que ele vinha de uma caixinha. Eu resolvi então trazer uma receita que também frequentou muito os meus fornos: o Nega Maluca. Fiz algumas alterações para que ele não ficasse tão doce, coisa que eu amava quando criança, mas hoje acho acho um pouco enjoativo. Se você quiser o sabor tradicional, substitua o cacau por chocolate em pó, aquele do frade, que era o que eu usava na época.

***
Ingredientes

– 3 ovos
– 1 xícara de chá de óleo
– 2 xícaras de chá de farinha de trigo
– 2 xícaras de chá de açúcar
– 3/4 de xícara de cacau em pó
– 1 xícara chá de leite quente
– 1 colher de sopa de fermento em pó
– 1/4 de colher de sopa de sal

Cobertura
– 1 lata de leite condensado
– 1/2 caixinha de creme de leite (100ml)
– 4 colheres de chá de água
– 2 colheres de sopa de cacau em pó
– 1/2 colher de chá de extrato de baunilha

Como faz

Bolo
1. Pré-aqueça o forno a 180 graus. Unte e enfarinhe uma assadeira grande retangular.

2. Peneire os ingredientes secos (farinha, cacau, sal e fermento).

3. Bata os ovos na batedeira em velocidade média até que fiquem bem espumados. Junte o açúcar e bata mais. Ainda batendo, junte o óleo. Agora diminua para a velocidade baixa e alterne o leite quente e os ingredientes secos, batendo a cada adição até incorporar.

4. Despeje na forma preparada e leve ao forno por cerca de 40 minutos, ou até que um palito saia seco ao ser espetado no centro. Espere esfriar e desenforme.

Cobertura
1. Leve todos os ingredientes para o fogo baixo numa panela média e de fundo grosso. Mexa sempre (eu gosto de usar um batedor de arames e uma espétula, alternados, para que a cobertura não forme grumos). Depois que a mistura ferver, mexa por mais um ou dois minutos. Assim que o fundo da panela aparecer, desligue. Espere amornar e espalhe sobre o bolo. Se quiser, salpique com granulado.

Observação:
Eu também desconfiei que a subsituição do chocolate em pó pelo cacau não ia dar certo, achando o bolo não ia ficar saboroso. Então fiz duas versões. Achei que a do cacau ficou bem mais gostosa, menos enjoativa.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 1 de fevereiro de 2012

    […] de Bolinha Pular para o conteúdo InícioSobre ← No princípio havia um bolo 01/02/2012 · 11:14 ↓ Jump to […]

Comente!