A batalha das cebolas e o melhor patê que já comi

Cena que eu amo do filme “Julie & Julia”, em que Julia Child treina como cortar cebolas para suas aulas de gastronomia

Tem movimento mais repetido na cozinha do que o ato de cortar cebola?

Já imaginou o Alex Atala chorando quando corta cebola? De olhos vermelhos, fungando e deixando cair aquela lagrimazinha na bochecha? Bom, ou ele tem uma técnica revolucionária ou então ele chora sim, porque vou contar: já tentei todos os truques e, ainda que ajudem, eles não eliminam completamente o desconforto de picar esse vegetal.

Não me entendam mal, eu respeito muito as cebolas. Durante algum tempo evitei aprofundar nossa relação, mas hoje encaro a batalha de frente. Sim, ainda é uma batalha: o sucesso depende da eficiência da arma, porque faca ruim dificulta o serviço. E também da técnica e experiência do soldado, já que há jeitos certos de executar a ação e a prática facilita tudo.

Quando me avista da tábua de corte, a cebola está preparada para revidar. Aposta que a melhor defesa é o ataque e, assim que eu vou para cima dela e corto suas células, ela revida com uma arma secreta – substâncias malignas que, em contato com o ar, se transformam em um gás que irrita os olhos. Esses, por suas vez, entram na briga e reagem, produzindo lágrimas para limpar o globo ocular.

Eu sei que existem várias dicas de como não chorar durante o processo. Cortar embaixo de água corrente, usar óculos de sol, picar com a boca cheia de água, ligar um ventilador na direção contrária da cebola, enfim. Nenhuma delas funciona 100% comigo. Às vezes não tem jeito e, na hora de fazer um refogado, é preciso se armar mesmo e ir para a guerra.

E se você está pensando se eu já cortei cebola e aproveitei a desculpa para chorar de verdade, isso só aconteceu uma vez.

Ok, duas.

***
Patê assado de cebolas

Essa receita é uma das formas mais deliciosas de usar cebolas. O patê é simples de ser feito e ótimo para ser comido com torradinhas ou no sanduíche. Se sobrar (o que eu duvido), esquente no microondas e ele voltará a ter a mesma textura.

Levemente adaptado daqui.

Rende uma xícara

(NOTA: 31/12/2013 – Depois de testar esse patê várias vezes, fiz alguns ajustes na proporção dos ingredientes, diminuindo a quantidade de creme de leite e parmesão)

Ingredientes

– 150 gramas de cream cheese bem amolecido (eu coloquei  no microoondas por alguns segundos)
– 1/2 xícara (chá) de creme de leite
– 3/4 xícara (chá) de parmesão fesco ralado (80 gramas)
– 1 cebola pequena (eu usei cebola roxa, mas pode ser a branca)
– Sal, pimenta e noz-moscada à gosto (lembrando que o parmesão possui sal, então use com parcimônia)

Como faz

1. Pré-aqueça o forno a 180 graus.

2. No processador, com a peça de lâmina, processe bem as cebolas. Se não tiver processador, pique-as à mão mesmo. Eu prefiro não morder pedacinhos de cebola no patê, por isso prefiro processá-las, mas faça da forma que gostar mais.

3. Numa tigela, coloque a cebola, o cream cheese amolecido, o creme de leite e os temperos. Misture bem até que fique um creme bem homogênio e prove para acertar o sal.

4. Distribua a mistura em ramequins ou em outro recipiente que possa ir ao forno e asse por cerca de 30 minutos, até que se forme uma crosta bem dourada por cima. Sirva quente.

Você pode gostar...

19 Resultados

  1. Paula P. disse:

    Eu acompanho seu blog há um bom tempo (só não sou de comentar mesmo) e quando vi essa receita, pensei logo em guardar pra um momento especial, porque parecia muito boa! É o tipo de receita que eu classifico como “ou vai dar muito errado, ou vai ser a coisa mais incrível que eu já comi”, e nossa, que delícia!
    Fiz ontem, pra um jantar em família, e foi só elogios! Viramos fãs e com certeza farei de novo! Continue sempre com as receitas maravilhosas e esse blog tão fofo de ler! 🙂

    • Marina Maria disse:

      Ei Paula, que comentário mais carinhoso! Esse patê de cebola é um dos clássicos do blog, acho que deve ser das receitas mais testadas. Que bom que você gostou também! Um beijo bem grande!

  2. Genial! Só coisa boa e que eu amo :3

    Quanto à cebola, guarde-as na geladeira e corte próximo à chama do fogão. A baixa temperatura da cebola vai evitar o desprendimento de gás e a chama de energia alta do fogão vai “atrair o gás” pra ser queimado (tem enxofre, então é razoavelmente combustível), não indo para os seus olhinhos 🙂

    MAS se vc for cortar em brunnoise, só de a cebola estar gelada e você começar os cortes pela horizontal, mantendo tudo muito juntinho o máximo de tempo possível, sem choro, garanto 😉 o lance é expor a superfície de corte o mínimo possível.

    No entanto, se a cebola estiver verde demais, isso tudo já era. Você pode chorar menos, mas vai chorar hahaha

    • marinamaria disse:

      Erika, desde esse post aprendi três truques, um você já falou: nada de cebola velha. A faca afiada e a tábua bem firme na bancada (costumo por um pano embaixo) também ajudam na hora de cortar. Hoje em dia quase não choro nada! Vitória! haha =)

  3. ana leticia de castro lobato disse:

    Prima, isso é muito bom. Fiz ontem para amigos, ficou sensacional. Fiz dois ramekins, e acabou tudo rsrsr.

  4. Flávia Dorado disse:

    Miga, esse patê virou minha especialidade de entrada, vou fazer hoje! Saudades!

  5. Flávia Dorado disse:

    Boa estratégia. Vou cortar cebolas naqueles dias “deprê”…

  6. Daruzi disse:

    Olá! Conheci seu blog recentemente (tipo agora mesmo) e me identifiquei com o problema de cortar cebolas. Logo quando eu estava aprendendo a cozinhar, pedia para minha mãe cortar para mim porque me causava muita irritação nos olhos! Já tentei colocar o óculos de mergulho também, mas só o conhecimento salva, não é mesmo? Falo isso porque descobri que o que nos faz chorar é inalarmos uma substância liberada pela cebola, não tem nada a ver tentar cobrir os olhos! Enfim, o que eu faço hoje é em dia é ligar a torneira, e em baixo da água cortar as extremidades, descascar partir a cebola ao meio, isso tudo em baixo da água, molho bem os cortes recém feitos e aí vou para a tábua colocando os cortes para baixo! Garanto que não me arde mais os olhos!

  7. Sharon disse:

    OI querida,vim agradecer a visita e o carinho…

    Beijinhos

    http://viramexeefaz.blogspot.com

    Sharon

  8. Marina, faz tempo também quero fazer, desde que vi no blog da Cinara…mas ainda não provei! Agora vou ter que fazer! Adorei o texto! Um abraço!

  9. Beta disse:

    Estou com essa receita anotada e ainda não consegui fazer, a lombriga ta aumentando! bjs

  10. Mario C. disse:

    Acreditem: é o melhor patê de todos os tempos.

  11. Cinara disse:

    Adorei saber que você aprovou o patê, Marina! E também adorei seu texto, muito divertido! ;o)
    Beijos e um ótimo feriadão para você!

  1. 8 de maio de 2014

    […] – Patê de cebola Com certeza um hit repetido muitas vezes na minha casa e acredito que na de alguns leitores também. Meu amigo Raul deu o carinhoso apelido de “patê de lasanha” – não sei bem por quê. […]

Comente!