Terapia da geléia (e uma de maracujá)


Algumas pessoas fazem exercícios. Outras meditam. Algumas compram sapatos e maquiagem. Tem gente que ouve Enya ou então assiste novela. Para mim, duas coisas que me relaxam muito são: 1) preparar uma receita que precisa de medidas e passo-a-passo exatos, onde eu não preciso pensar, apenas concentrar e 2)  fazer geléia.

A Mônica tinha razão. Nada é capaz de distrair mais do que fazer geléia. Você coloca todos os ingredientes na panela, dá uma mexidinha e aí só fica olhando aquela mistura incorpar… depois vai tirando a espuma que forma bem devagar… a fervura vai formando bolhas grandes que estouram em câmera lenta… a mistura na panela fica brilhante, espelhada… a cozinha começa a cheirar a calda de açúcar…

Mesmo depois de pronta, a geléia tem esse jeitão de comida relaxada, porém firme. E ao saborear, a sensação é a mesma: uma textura de certeza e sutileza ao mesmo tempo; coisa de comida descomplicada, porém com personalidade. Se fosse para ser um tipo de comida, eu queria ser geléia.

***

Geléia de Maracujá

Se você só come geléia do potinho, POR FAVOR, que essa seja a sua primeira geléia caseira. O sabor e a textura são incomparáveis aos da comprada pronta. E sim, eu sei o que você está pensando: mesmo se for dessa marca chique aí que você lembrou.

Receita daqui.
Rendimento: cerca de uma xícara e meia.

Ingredientes

– 150 ml de polpa de maracujá (+/- 4 maracujás médios)
– Casca dos maracujás
– Suco de um limão pequeno
– 200 gramas de açúcar
– Água na mesma medida das polpas dos maracujás

Como faz

– Lave e corte ao meio os maracujás. Tire a polpa de cada um e meça o volume total. Separe a mesma medida de água.

– Coloque as cascas numa palea de pressão, cubra com água e leve ao fogo. Quando atingr a pressão, diminua o fogo e espere cinco minutos. Depois desse tempo, desligue o fogo e espere a pressão terminar.

– Deixe as cascas esfriarem um pouco, mas não muito: com elas ainda mornas e com o auxílio de uma faca, descasque a parte amarela , reservando apenas a parte branca.

– Bata a parte branca no liquidificador com metada da água que você separou antes e coe.

– Bata o restante da água com a polpa do maracujá e coe (se quiser sementinhas na geléia, reserve algumas sem bater).

– Junte tudo numa panela, acrescente o açúcar e o suco do limão e leve ao fogo. Mexa até que os ingredientes estejam misturados.

– Antes que a mistura levante fervura, aproveite para testar o sabor e ajustar se é preciso mais açúcar ou limão.

– Quando a mistura começar a ferver, uma espuma começará a se formar na superfície e nas laterais da panela. Com uma escumadeira, vá retirando e descartando essa espuma.

– Não é preciso mexer a geléia. Depois que a espuma terminar, abaixe o fogo e deixe chegar no ponto. O tempo de fervura até atingir o ponto ideal é de cerca de 40 minutos. Para saber se já está pronto, coloque uma pequena quantidade num pires e leve ao freezer por um minuto. Retire e cheque se está na consistência desejada (eu gosto dela mais fluida). Se estiver, desligue o fogo e transfira a geléia para potes higienizados. Espere esfriar e coloque na geladeira.

-É essencial que a geléia seja guardada em vidros esterelizados para garantir sua durabilidade. Para isso, coloque os potes de vidro e as tampas numa panela, cubra com água e espere ferver. Retire com uma pinça e deixe secar com a boca para baixo.

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Jessica Uema disse:

    Gostei muito da sua introdução, ela nos faz pensar na comida de uma outra maneira, nos faz pensar na textura, na consistência e na personalidade com base nisso , coisas q eu em particular nunca pensei. De certa forma mudou o meu modo de ver a comida.
    Eu quando li esse post pela primeira vez achei q a geleia caseira não deveria ser muito gostosa e achava mais pratico comprar uma no mercado, mas depois eu decidi reler o post e comecei a mudar a minha opinião, pensei q se a geleia caseira não tão gostosa como vc escreveu vc nem iria escrever tão bem sobre a geleia, então decidi testar com uma de laranja , eu adaptei um pouco a sua receita com uma outra q eu vi, e depois q eu fiz percebi q vale a pena , é com certeza vale muito a pena fazer sem falar q é super saborosa.
    Me apaixonei pela geleia caseira e q não importa a marca ou o tipo q vc compre nunca será tão gostosa quanto a caseira.
    gostei tanto da geleia q já fiz mais de duas em menos de 2 meses.
    Eu pretendo fazer uma de maracujá só q eu ainda não fiz por causa da época ,mas pretendo fazer.
    Gosto muito do seu jeito de ver a comida e da forma como vc faz as pessoas pensarem sobre ela.
    Bjs.

    • marinamaria disse:

      Jéssica, você não sabe o quanto fico feliz de saber que o post te causou essas reflexões. Comida é uma parte muito importante da nossa vida, né? E assim como a geleia, arrisco dizer que a grande maioria das coisas que fazemos em casa ficam mais gostosas, até porque a gente come fresquinho e controla o sabor de acordo com nosso gosto. Estou adorando acompanhar as receitas que você está testando no blog! Um beijo, querida!

  2. ciel disse:

    Gostei muito da sua descripção da Terapia!

  1. 6 de junho de 2011

    […] de Bolinha Pular para o conteúdo InícioSobre ← Terapia da geléia (e uma de maracujá) 06/06/2011 · 23:45 ↓ Jump to […]

  2. 19 de julho de 2013

    […] Do rol de bolos de fruta, esse é o meu favorito. É perfumado e dá para sentir mesmo o gosto do maracujá. É importante usar a fruta fresca, por isso só faço quando é época de maracujá. Fica maravilhoso coberto com essa geleia. […]

Comente!