A hora do café + Chocolate Charms

– Gente, semana que vem é o Dia das Mães, como vamos comemorar? – Ah, vamos fazer um café da tarde! – Marina, hoje é aniversário da tia Silvia. – Ah é? Vai ter festa? – Vai ter um café. Esses diálogos se repetem várias vezes há muitos anos. São fruto da tradição (ou mania) que minha família materna tem de celebrar tudo com um café da tarde. Criados numa família pobre de 14 irmãos no total, meus tios e tias se habituaram a dividir a quase tudo, a comer o que tinham e a ser feliz diante dessas possibilidades. Com tantas pessoas em idades e ritmos diferentes perambulando pela casa, o café da tarde era o momento em que todos se encontravam. Na mesa havia pão com manteiga e café com leite. E quando o pão era pouco, tinha flocos de milho misturados no leite. Essa era a hora deles de conversar, contar piada, fofocar. Talvez por representar esse momento de reunião, a tradição do café da tarde persistiu e perseguiu os descendentes, fazendo com que eu e meus primos aprendêssemos qual padaria tem o melhor biscoito de queijo, qual tia faz o melhor bolo de fubá (tia Ana!), a melhor pipoca (tia Vilma!), etc. O café da tarde, com seus biscoitinhos, pães e geléias, virou para mim sinônimo de ternura. E, há uns anos, os primos se juntaram num movimento quase sindical para exigir que nos cafés houvesse também Coca-Cola. Afinal, a geração precisa deixar sua marca… ***

Chocolate Charms

Para mim esse é o perfeito biscoito para  café da tarde: textura macia e sabor marcante do cacau. Não é enjoativo, por isso dá vontade de ir comendo um atrás do outro com uma boa xícara de chá. Rendimento: 45 biscoitinhos Ingredientes (receita da Tia Martha) – 200 gramas de manteiga sem sal em temperatura ambiente – ½ xícara de açúcar – 2 xícaras de farinha – ¼ de xícara de cacau em pó* – ¼ de colher de chá de sal – 1 colher de chá de extrato baunilha (opcional)** Como faz: 1. Tire a manteiga da geladeira e deixe ela ficar bem molinha antes de começar a receita. Isso vai ajudar muito na hora de batê-la. 2. Numa vasilha, peneire a farinha, o cacau e o sal juntos. 3. Na batedeira, bata a manteiga até que fique bem fofa (cerca de 5 minutos). Adicione o açúcar e bata por mais uns 2 minutos, até que a mistura fique esbranquiçada. Se for usar a baunilha, adicione-a nessa etapa. 4. Adicione na batedeira, aos poucos, a mistura de farinha, cacau e sal que estava na outra tigela. Não precisa bater muito, apenas até a farinha estar incorporada. Se achar a massa muito pesada para sua batedeira, pode fazer essa mistura com uma colher de pau ou com as mãos. Dá para saber o ponto correto da massa quando você apertá-la com a mão e sentir que está firme e homogênia. 5. Forme uma bola ou um disco com a massa e embrulhe no papel filme. Leve para a geladeira para firmar (cerca de uma hora; pode variar de acordo com o clima). 6. Pré-aqueça o forno a 180º por cerca de 15 minutos. Enquanto isso, forre duas assadeiras com papel manteiga. Tire a massa da geladeira e faça bolinhas, cuidando para que tenham o mesmo tamanho (dessa forma, elas assam por igual) e não fiquem muito próximas uma das outras (ao serem assados, os biscoitos se expandem um pouquinho). 7. Asse por cerca de 20 minutos, rodando a assadeira na metade do tempo para que todos os biscoitos peguem a mesma quantidade de calor. Estarão prontos quando estiverem firmes, com a “bundinha” levemente tostada. Atenção para não deixar assar demais: como os biscoitos tem uma cor marrom muito forte, não adianta esperar ver o “tostado”. Aí será tarde demais. Observações: * Tem que ser cacau; chocolate em pó ou outra variação não vai funcionar. ** Procure usar o extrato mesmo. Essência de baunilha tem tudo, menos baunilha, e costuma deixar um gosto amargo no fundo do sabor dos biscoitos. (A Cinara ensina como fazer extrato de baunilha)

Você pode gostar...

Comente!